Daily Archives: 20 Julho, 2015

Universidade do Porto entre as 100 melhores do mundo no Ensino

A Universidade do Porto é uma 100 instituições de ensino superior a nível mundial com melhor qualidade do Ensino e do corpo docente, de acordo com a edição 2015 do The Center for World University Rankings (CWUR 2015), ranking internacional que avalia as universidades em função da qualidade da educação que é dada aos estudantes, do prestígio dos professores e investigadores e da qualidade da investigação produzida.

Posicionando-se na posição 308 a nível global, a U.Porto destaca-se assim no “top 100″ mundial em dois dos principais critérios de avaliação do ranking: a qualidade do Ensino (94.ª classificada) e a qualidade do corpo docente (90.ª classificada). Em ambos os casos foram tidas em conta o número de distinções internacionais atribuídas a antigos estudantes e a professores e investigadores das instituições, respetivamente.

Em relação à edição anterior do CWUR, destaca-se também a subida de mais de 100 lugares (do lugar 427 para o 316) que a U.Porto regista no ranking específico da Empregabilidade dos Alumni, construído em função do número de antigos estudantes que chegam a CEO em multinacionais. A Universidade revela ainda uma tendência de crescimento nos diferentes critérios relacionados com a produção científica (número de artigos científicos publicados em jornais e revistas científicas de topo, fator de impacto das publicações científicas ou o número de patentes intencionais submetidas).

Na comparação com as restantes seis universidades classificadas no CWUR, a U.Porto é a única a conseguir entrar no “top 100″ dos diferentes critérios de avaliação. As outras instituições nacionais presentes são a Universidade de Lisboa, que ocupa o 257.º lugar a nível global, seguida das congéneres de Coimbra (507), Aveiro (557), Nova de Lisboa (612), Minho (629) e Algarve (996).

A nível global, o CWUR  2015 é liderado pelas universidades de Harvard, Stanford e pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), que assim repetem o pódio de 2014. No grupo das 10 melhores do mundo destacam-se oito  instituições norte-americanas e duas do Reino Unido.

O CWUR tem sede na Arábia Saudita e elabora este ranking desde 2012.

O ranking completo pode ser consultado aqui.

Mestrado em Neuropsicologia no topo dos rankings

O ISPA –Instituto Universitário  o Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa (ICS-UCP) aliaram-se para  criar uma oferta formativa inovadora nas áreas das neurociências e da neuropsicologia, da qual resulta uma das melhores ofertas formativas da Europa nestas áreas

A parceria entre as duas instituições permite o surgimento de um projeto científico-pedagógico de referência que reúne docentes e especialistas de topo e potencia sinergias, maximiza recursos, garantindo a excelência da oferta formativa.

Surge, assim, um Neuroconsortium que reúne ambas as instituições e do qual resulta uma oferta formativa em áreas científicas de interesse crescente.

O corpo docente é composto por um conjunto de professores altamente qualificados e com atividade de investigação científica de nível internacional nestas áreas. Os mentores da parceria são o Professor Doutor Rui Oliveira, atual Reitor do ISPA – Instituto Universitário, Professor Catedrático e investigador de referência na área das Neurociências e o Professor Doutor Alexandre Castro Caldas, atual Diretor do ICS-UCP, Professor Catedrático de Neurologia e antigo Presidente da prestigiada Sociedade Internacional de Neuropsicologia.

Desta parceria nascem dois Mestrados:

– Mestrado em Neuropsicologia: a Neuropsicologia  é uma área da Psicologia que trabalha com inputs e em interface com diversas áreas, nomeadamente as neurociências, a neurologia, a psicologia clínica ou a psiquiatria, permitindo  corresponder às necessidades colocadas pela sociedade em vários domínios, nomeadamente no âmbito de doenças relacionadas com o envelhecimento, lesão cerebral e das necessidades de avaliação e reabilitação daí recorrentes.

No âmbito da avaliação da A3ES, – Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior, organismo que garante a qualidade do ensino superior em Portugal – este programa foi considerado entre os 5% melhores programas europeus na área, considerado “de elevada qualidade científica [respondendo] a aspetos de maior prioridade”.

– Mestrado em Neurociências Cognitivas e Comportamentais – esta área emergente tem como objeto as bases biológicas da cognição e do comportamento, focando-se em particular no papel do sistema nervoso nestes processos psicológicos. Envolve uma articulação entre um sólido domínio da Psicologia, e os princípios e conceitos fundamentais da Biologia. No âmbito da avaliação da A3ES este programa foi considerado de nível europeu.

Sobre os parceiros:

O ISPA – Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida

O ISPA – Instituto Universitário é a mais antiga escola de Psicologia de Portugal.

Reconhecido pela formação de excelência na área da Psicologia e das Ciências do Comportamento foi agraciada com o primeiro Prémio de Psicologia atribuído pela Ordem dos Psicólogos Portugueses.

O ISPA tem acompanhado a evolução natural desta área de conhecimento, expandido as suas atividades para a área das neurociências através de formação e investigação de excelência, com reconhecimento nacional e internacional.

O Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa

O Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa foi criado em 2004 com a finalidade de coordenar as áreas do Saber que incorporam as questões da Biomedicina e da Saúde. Este Instituto constitui um dos sectores de desenvolvimento estratégico da UCP para os próximos anos e está organizado em torno de três vetores fundamentais: o Ensino, a Investigação Científica e a Prestação de Serviços. A neuropsicologia constitui uma das principais áreas científicas deste Instituto e tem vindo ano após ano a estabelecer um estatuto inovador.

UBI apresenta vagas para o próximo ano letivo

A UBI disponibiliza 1240 vagas para ingresso nos seus ciclos de estudo. A instituição seguiu as orientações do Ministério da Educação e Ciência na fixação de vagas, tendo em vista a regulação da oferta através da empregabilidade e da procura efetiva. A distribuição das vagas por áreas de estudo mantém a proporção registada em 2014.

Ver vagas e condições de acesso

Tal como nos anos anteriores, a candidatura é apresentada através do sistema online, no sítio da Direção‐Geral do Ensino Superior (DGES) na Internet. Os estudantes podem também recorrer ao Gabinete de Acesso junto aos Serviços Académicos – Polo I da UBI, no qual poderão fazer a candidatura, pedidos e validação de senhas e esclarecer todas as dúvidas sobre bolsas, residências, entre outras.

Neste sentido, a instituição lançou a campanha de sensibilização “Não Desistas!”. O objetivo desta campanha é informar os candidatos ao ensino superior sobre os apoios existentes para prosseguimento de estudos. Sabendo-se que o maior entrave ao prosseguimento de estudos são as dificuldades financeiras das famílias, a UBI preparou um site com informação sobre todos os tipos de apoios disponibilizados para alunos que ingressem na UBI. Para além das bolsas da Direção-geral do Ensino Superior, os futuros alunos da UBI podem ainda candidatar-se a cerca de 100 bolsas do programa +Superior, ao FAS – Fundo de Apoio Social e às dezenas de bolsas proporcionadas por autarquias, empresas e outras instituições protocoladas com a UBI. No site NÃO DESISTAS! é possível encontrar uma listagem com todas as autarquias do país, com bolsas para os seus munícipes que ingressam no Ensino Superior, algumas delas com link para os regulamentos.

No ano letivo 2014/15 foram atribuídas na UBI 1837 bolsas DGES a alunos carenciados, 130 bolsas + Superior, 80 bolsas FAS, 28 bolsas de mérito, 20 prémios escolares, cinco bolsas de autarquias protocoladas com a UBI e duas de outros organismos.

Os resultados da 1.ª fase do concurso nacional de acesso são divulgados no dia 7 de setembro no sítio na Internet da DGES.

Empresas pagam propinas aos melhores candidatos a Engenharia Física da Universidade de Aveiro

Diversas empresas nacionais e internacionais com presença em Portugal vão pagar as propinas do 1º ano de curso aos seis estudantes com as melhores médias de ingresso do Mestrado Integrado de Engenharia Física (MIEF) da Universidade de Aveiro (UA) através do estabelecimento de prémios de mérito. O financiamento das propinas por parte da indústria, uma iniciativa com estreia no próximo ano letivo, pretende ajudar a reduzir as necessidades de engenheiros físicos, numa área de formação que é atualmente a quarta com maior taxa de empregabilidade do Ensino Superior nacional.

“Os prémios de mérito pretendem atrair um maior número de estudantes de elevado potencial para ingressarem no MIEF, contribuindo para suprir as necessidades regionais e nacionais de formação nesta área”, aponta João Miguel Dias, diretor do Departamento de Física (FIS) da academia de Aveiro.

Destinado aos seis estudantes com as médias de acesso mais elevadas e superiores a 14 valores que ingressem no MIEF no ano letivo 2015/16, o pagamento da propina de 1063,47 euros, referente ao 1º ano do curso, surge na sequência do reconhecimento deste curso da UA como o único no país distinguido com o selo de qualidade internacional EUR-ACE e, relembra João Miguel Dias, com “o facto de diversas empresas nacionais e internacionais reconhecerem a importância e a necessidade de formação de quadros superiores na área da Engenharia Física”.

A cooperação com o tecido industrial e empresarial tem sido uma aposta contínua da formação oferecida pelo FIS. Em particular, sublinha o diretor, “o MIEF promove, no 5º ano do curso, a realização da dissertação e do estágio em ambiente empresarial, estrategicamente enquadrada para a definição de diferentes perfis das indústrias e empresas de elevado valor tecnológico”. Neste contexto, “a inovação neste tipo de indústrias e de empresas é favorecida com a atividade de diplomados de cursos das áreas científicas e tecnológicas, como por exemplo, o MIEF”.

 

Formação de excelência

Com uma formação abrangente em áreas de elevado pendor tecnológico, “os diplomados do MIEF são reconhecidos em diversos setores de atividade”. Empresas dos sectores automóvel, espacial, da energia, das telecomunicações, da robótica, medicina e biomedicina são apenas alguns dos exemplos onde os estudantes do FIS têm colocado em prática “a excelente formação que recebam”. Esta, garante João Miguel Dias, “encontra-se alicerçada na transferência para a intervenção pedagógica dos resultados da investigação científica efetuada no FIS, desenvolvida em forte colaboração com a indústria através da prestação de serviços e projetos em parceria”.

João Miguel Dias salienta ainda que “a qualidade científica deste departamento destaca-se a nível nacional, onde é o único que integra uma unidade de investigação excecional e três excelentes segundo a recente classificação da FCT, e também internacionalmente, como demonstram os recentes prémios atribuídos aos seus investigadores assim como as publicações frequentes em revistas de grande fator de impacto”.

 

1100 estudantes da U.Porto partem para 39 países dos cinco continentes

Uma parte dos 1100 estudantes da Universidade do Porto que, durante o próximo ano letivo, vão fazer um período de intercâmbio em universidades dos quatro cantos do mundo vai reunir-se às 12h30 de amanhã, dia 21 de Julho, no edifício da Reitoria da U.Porto(Praça Gomes Teixeira, aos Clérigos) para um “almoço de despedida” antes de se deslocarem para o estrangeiro.

 

Oitocentos partem logo no início do ano letivo, mas ao longo de todo o ano serão mais de 1100 os estudantes da Universidade do Porto que vão passar um semestre ou o ano letivo completo em universidades de 39 países diferentes, ao abrigo de programas de mobilidade internacional como o Erasmus+ ou de acordos de parceria bilateral criados entre a U.Porto e as universidades que os acolhem.

 

Entre os 39 países de destino, a preferência recai sobre os países membros da União Europeia, devido à influência do programa Erasmus+, mas a lista inclui também destinos tão variados como Argentina, Brasil, Canadá, China, Estados Unidos da Américo, México, Tailândia, Taiwan ou Uruguai.

 

O almoço será o ponto alto de um dia dedicado pela Universidade do Porto às sessões de preparação de mobilidades internacional onde, a poucas semanas de embarcarem para um novo país, os estudantes poderão esclarecer eventuais dúvidas de última hora.

 

Recorde-se que, só no ano letivo que agora termina, 1077 estudantes da U.Porto tiveram a oportunidade de realizar um período de estudos em universidades estrangeiras. Em sentido contrário, a Universidade do Porto acolheu 4000 estudantes e investigadores internacionais de mais de 129 países – 1784 dos quais ao abrigo de programas de mobilidade internacional –, confirmando o seu lugar entre as universidades europeias mais procuradas por estudantes de diferentes nacionalidades.

UAlg distinguida com 2º prémio nacional dos “Prémios europeus de promoção empresarial 2015”

Divisão de Empreendedorismo e Transferência de Tecnologia da Universidade do Algarve ganhou o 2º Prémio Nacional dos “Prémios Europeus de Promoção Empresarial 2015” na categoria “Promoção do espírito de empreendedorismo”.

 

Recebeu o Prémio, em nome da Universidade do Algarve, o coordenador do CRIA, Hugo Barros, numa cerimónia que decorreu em Lisboa, no dia 14 de julho.

O galardão é atribuído a iniciativas de âmbito nacional, regional ou local, que promovam o espírito empreendedor, especialmente entre jovens e mulheres.

O Concurso, promovido pelo IAPMEI, está associado à edição 2015 dos Prémios Europeus de Promoção Empresarial (European Enterprise Promotion Awards – EEPA), uma competição que tem como objetivo distinguir as melhores práticas de promoção do empreendedorismo na Europa.

Desde 2003 que o CRIA tem procurado promover atividades que incentivam o empreendedorismo, apoiando a constituição de novas empresas, start-ups e spin-offs, e promovendo relações entre as unidades de investigação da Universidade do Algarve e as empresas.