Daily Archives: 1 Setembro, 2015

Ex-aluno da UMinho recebe 430 mil euros para investigar cancro

Noel de Miranda, ex-aluno de Biologia Aplicada da Universidade do Minho, venceu uma bolsa de 430 mil euros para prosseguir a sua investigação na área do tratamento do cancro colo-rectal, também conhecido por cancro intestinal. Esta é a segunda causa de morte por doença oncológica em Portugal. Cerca de dez pessoas morrem todos os dias deste tumor. A distinção “Bas Mulder Award 2015” foi atribuída pela Fundação Alpe d’HuZes em conjunto com a Sociedade Holandesa de Cancro.

“É uma contribuição preciosa para prosseguir a minha carreira nesta área, adquirir independência e estabelecer o meu próprio grupo de investigação no futuro. Acarreta também um sentimento de grande responsabilidade, uma vez que o financiamento é assegurado através das contribuições de (ex-)doentes, familiares e outras pessoas que se dedicaram a esta causa”, afirma Noel de Miranda, agora investigador no Centro Médico da Universidade de Leiden (Holanda).

A sua investigação tem como principal objetivo o desenvolvimento de estratégias que estimulem o sistema imunitário de doentes com cancro colo-rectal de forma a que as células tumorais possam ser identificadas e eliminadas pelo mesmo. O sistema imunitário tem a capacidade de reconhecer proteínas anormais produzidas pelas células tumorais. Contudo, nos pacientes, nem sempre se verifica uma resposta imunitária competente durante o desenvolvimento de cancro colo-rectal. O estudo propõe, assim, utilizar as proteínas que se encontram modificadas nas células tumorais para estimular uma resposta imunitária contra as mesmas, algo semelhante ao que é feito através da vacinação contra certas doenças. “Para isto ser possível, o material genético de cada cancro/paciente tem de ser analisado através de técnicas de sequenciamento avançadas de forma a determinar que proteínas podem ser usadas para potenciar respostas imunitárias num contexto de medicina personalizada”, esclarece o ex-aluno da Escola de Ciências da UMinho.

Noel de Miranda, 33 anos, é natural da Póvoa de Varzim, no Porto. Depois da licenciatura em Biologia Aplicada na Escola de Ciências da UMinho, ingressou no Centro Médico da Universidade de Leiden (Holanda) para desenvolver um doutoramento relacionado com o cancro colo-rectal. Realizou um pós-doutoramento no Instituto Karolinska (Suécia). É investigador no Centro Médico da Universidade de Leiden, onde se dedica ao estudo de genética e imunologia em cancro colo-rectal. Já publicou 27 artigos em revistas científicas internacionais.

Mais de 150 estudantes do ensino secundário aprendem a investigar na U.Porto

De 31 de agosto a 4 de setembro, uma grande parte dos melhores alunos do ensino secundário (10.º, 11.º e 12.º anos) de todo o país vem à Universidade do Porto para ocupar os seus laboratórios e centros de investigação com a missão de desvendarem alguns dos maiores mistérios do universo ou de dar novos passos na investigação contra o cancro.

 

São mais de 150 participantes na Escola de Física, Escola de Ciências da Vida e da Saúde (ECVS) e da Escola de Verão de Matemática, os três projetos que assinalam o regresso – e também a despedida – da edição 2015 da Universidade Júnior (UJr). Mostrar a U.Porto por dentro e colocar jovens estudantes no mundo da investigação são os objetivos desta iniciativa.

 

Depois de em julho passado ter aberto as portas da Universidade a mais de 5000 alunos do 5.º ao 11.º anos, está de regresso a Universidade Júnior, o programa promovido pela U.Porto com o objetivo de sensibilizar jovens pré-universitários para as áreas ali lecionadas. Nas escolas de investigação, os jovens podem conhecer a forma como os investigadores trabalham à medida que exploram, por exemplo, o mundo das sondas espaciais, os robôs construídos com a ajuda de legos, os planetas extrassolares ou a biologia no mundo real.

 

De modo a potenciar ao máximo esta primeira aventura no mundo da investigação, todos os jovens estudantes terão a oportunidade de apresentar as suas descobertas científicas perante uma Comissão composta pelos professores e investigadores da U.Porto responsáveis pelos projetos. Estas sessões assumem a forma de um verdadeiro congresso científico de investigação e arrancam às 9h30 do dia 4 de setembro, sexta-feira, noCentro de Investigação Médica (CIM) da Faculdade de Medicina da U.Porto (Rua Doutor Plácido da Costa) com as apresentações das Escolas de Física e Escola de Verão de Matemática. A apresentação da Escola de Ciências da Vida e da Saúde (ECVS) será no dia seguinte, 5 de setembro, também na Faculdade de Medicina da U.Porto.

Festival FDUL EXPERIENCE 2015: 15 a 19 Setembro

Irá decorrer, entre os dias 15 e 19 de setembro, a 2.ª edição do Festival Experience, organizado pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

Este festival tem-se afirmado como um evento marcadamente inovador, desde logo porque não se confunde com os inúmeros festivais de verão ou com as tradicionais festas académicas que ocorrem um pouco por todo o País.

O Experience diferencia-se pelo ecletismo, pela gratuitidade e também por privilegiar a aposta em eminentes artistas portugueses das mais diversas áreas, como a música, o teatro, o desporto ou a escultura.

De entre os artistas que compõem o cartaz da edição 2015, destacam-se nomes como o da rapper portuguesa Capicua, os Linda Martini ou os Capitão Fantasma. À semelhança do que aconteceu na primeira edição, haverá ainda outros espetáculos de estilos musicais distintos, destacando-se as atuações da Camerata Atlântica, que interpretará Piazzolla, bem como os Melleo Harmonia e os Enkore Jazz.

Neste evento cultural, também há espaço para o teatro. No dia 15 de setembro “O Bando” irá apresentar a peça “Em nome da terra” e no dia 16 de setembro, os alunos do “Cénico de Direito” vão levar à cena a peça “Drones”.

No âmbito da programação do festival, terá ainda lugar a Corrida “10 Km de Direito”, que será realizada no sábado, dia 19 de setembro, que para além de promover o convívio se destina a angariar fundos para financiar de bolsas de estudo a atribuir a estudantes mais carenciados da FDUL.

Para informações adicionais: https://www.facebook.com/festival.fdul.experience?fref=nf

Nova SBE recebe 600 novos alunos de mestrado na 2ªedição da Semana da Descoberta

Pelo segundo ano consecutivo, a Nova School of Business and Economics (Nova SBE) recebe os cerca de 600 novos estudantes dos Mestrados de Economia, Finanças e Gestão com uma semana totalmente dedicada ao desenvolvimento pessoal e ao planeamento da carreira profissional. A iniciativa arranca amanhã, dia 1 de setembro, e prolonga-se por mais três dias, precedendo a imersão dos alunos no conhecimento académico.

A Semana da Descoberta, uma iniciativa pioneira da Nova SBE, coloca a realização pessoal e profissional do aluno no centro do programa académico. Os estudantes de mestrado, recém-chegados à faculdade, são convidados a descobrir um futuro à sua medida, conciliando a sua vocação com as oportunidades disponíveis no mercado de trabalho e com as competências académicas que deverão desenvolver durante o seu mestrado.

Para Daniel Traça, diretor da Nova SBE, o objetivo é contribuir para uma maior realização do individuo e, consequentemente, para uma maior produtividade e desenvolvimento do país. “Vamos incentivar os nossos estudantes a conhecerem-se melhor, a saberem onde querem chegar e a aprender, desde os primeiros momentos na Nova SBE, qual o melhor caminho a percorrer. Acreditamos que, com a nossa ajuda, os nossos alunos, tipicamente muito motivados e bons tecnicamente, vão conseguir conciliar a sua vocação com as necessidades do mercado de trabalho e competências a desenvolver, contribuindo para a edificação de um mundo melhor”, concluiu.

A Semana da Descoberta vai contar com a participação de oradores carismáticos – o antigo aluno da Nova SBE e ex-administrador da TAP, Luís Rodrigues, e o responsável pela área internacional da Formação de Executivos da Nova SBE, Nadim Habib -, e de antigos alunos com carreiras de sucesso que aceitaram partilhar as suas experiências de vida. A iniciativa, que decorre nos primeiros dias do ano letivo, recebe também várias empresas parceiras (Unicer,, Uniplaces, Credit Suisse, EDP, Fidelidade, Mercer, L’Oréal, Nomura, entre outras), cuja participação tem como objetivo contribuir para uma melhor compreensão do funcionamento do mercado de trabalho e da diversidade de percursos profissionais relevantes nas áreas de Gestão, Economia e Finanças

O Programa da Semana da Descoberta prevê ainda vários momentos de convívio e animação, dos quais se destacam diferentes churrascos promovidos pela Associação de Estudantes da Nova SBE, um almoço com os alunos de mestrado de anos anteriores e uma festa ao pôr-do-sol.

Distanciando-se de uma forma de estar apenas centrada no sucesso académico, a semana de reflexão e descoberta da Nova SBE marca de forma inequívoca o início do ano letivo e traduz o espírito inovador e desafiante que predomina nos corredores da instituição. Mais uma vez a escola confirma a sua enorme proximidade com o mercado de trabalho e o mundo empresarial, consolidando a sua missão de serviço público e de uma escola global ao serviço da comunidade e do país.

Esta proximidade reflete-se não só no conjunto de iniciativas que a escola desenvolve em parceria com a sociedade civil ou com empresas nacionais e internacionais mas também nos seus números de empregabilidade: todos os estudantes da Nova SBE estão a trabalhar seis meses após concluírem o seu mestrado e mais de 40 por cento desenvolve carreiras internacionais.

De assinalar também o número elevado de estudantes de mestrados aguardados na Nova SBE. A escola abriu mais 200 vagas para mestrados e prepara-se para receber 600 novos alunos, na sequência de um processo de candidaturas particularmente concorrido. No global, as candidaturas aos mestrados da Nova SBE subiram mais de 30 por cento, ultrapassando os 2000 alunos e, no que diz respeito a candidaturas internacionais, a procura subiu mais de 50 por cento, representando mais de metade do número total de candidaturas. Tal como em 2014, a maior parte dos candidatos estrangeiros são alemães e italianos, seguindo-se os franceses, chineses, austríacos, indianos e noruegueses.

Com a acreditação Triple Crown (AACSB, EQUIS e AMBA), a Nova School of Business and Economics, considerada pelo Financial Times uma das melhores escolas de negócios da Europa, oferece licenciaturas em Gestão e Economia, bem como mestrados e doutoramentos nas áreas de Finanças, Gestão e Economia.

Para mais informações sobre a Nova School of Business and Economics: www.novasbe.unl.pt

Descoberta de equipa da Universidade de Coimbra perspetiva tratamentos inovadores usando exossomas

Uma equipa multidisciplinar de 12 investigadores da Universidade de Coimbra (UC) descobriu que a conexina43, uma proteína especializada na comunicação entre células vizinhas, existe também nos exossomas – vesículas extracelulares que podem funcionar não apenas como uma forma de células distantes comunicarem mas também como um “sistema de controlo de qualidade”, através do qual as células podem libertar conteúdos indesejados ou potencialmente tóxicos.

Esta descoberta, acabada de publicar na conceituada Scientific Reports, do grupo Nature, abre caminho para o desenvolvimento de novas abordagens terapêuticas, nomeadamente no tratamento de doenças cardiovasculares, utilizando os exossomas como veículo de fármacos e a conexina43 como um “facilitador” da libertação do conteúdo dos exossomas nas células alvo.

Os exossomas, explica Henrique Girão, líder do estudo e investigador do Instituto de Imagem Biomédica e Ciências da Vida e da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, «têm um grande potencial clínico e terapêutico. Sendo de fácil acesso (encontram-se presentes, p. ex, na saliva e no sangue), é possível isolá-los e identificar nos seus constituintes moléculas que podem funcionar como “biomarcadores” para diagnóstico ou prognóstico de doença. Uma vez isolados é ainda possível manipular o seu conteúdo, nomeadamente em termos de fármacos, e voltar a introduzi-los no organismo, podendo assim funcionar como veículos terapêuticos».

Considerando o papel já conhecido da conexina43 na mediação da comunicação entre células adjacentes, este estudo, realizado em linhas celulares, modelos animais e amostras humanas, demonstra «a otimização de recursos pelos sistemas biológicos, uma vez que a mesma proteína envolvida na comunicação entre células pode também mediar a comunicação dos exossomas com as células», nota Henrique Girão.

Após identificarem pela primeira vez a existência de conexinas nos exossomas, os investigadores pretendem agora avaliar a sua relevância num contexto fisiopatológico «nomeadamente no contexto cardiovascular, onde os exossomas podem mediar a comunicação entre os diferentes tipos de células que constituem o coração, garantindo o seu normal funcionamento ou, em alternativa, contribuir para o desenvolvimento de doença cardíaca», sublinha.

Esta comunicação «entre exossomas e células garantida pela conexina pode ser particularmente útil para aumentar a eficiência da libertação de fármacos, veiculados em exossomas, nas células alvo, abrindo, desta forma, portas para o desenvolvimento de formas de tratamento inovadoras e mais eficazes no combate a vários tipos de doença», conclui o coordenador do estudo que envolveu também investigadores da UC Biotech.

A equipa vai ainda avaliar em contexto clínico (com doentes), em colaboração com o Serviço de Cardiologia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), se a conexina43 dos exossomas poderá funcionar também como um indicador para as doenças cardiovasculares.