Monthly Archives: Abril 2018

Ciclo de 13 Conferências no Antigo Refeitório do Mosteiro dos Jerónimos Abril a Dezembro de 2018

No próximo dia 26 de abril às 18h15m terá lugar no Antigo Refeitório do Mosteiro dos Jerónimos a conferência inaugural Mosteiro dos Jerónimos: um diálogo entre o espaço e o tempo, com Sua Excelência o Senhor Presidente da República, Professor Doutor Marcelo Rebelo de Sousa e, a Professora Doutora Luísa Leal de Faria, investigadora em Arte, Cultura e Cidadania.

No Ano Europeu do Património Cultural, que pretende reforçar o sentimento de pertença a um espaço europeu comum, o Mosteiro dos Jerónimos transforma-se num espaço único onde se realizará um debate intenso e transversal, sobre Passado e Futuro.
Trata-se de um Ciclo de conferências que coloca em diálogo reconhecidas personalidades portuguesas em torno de temas que vão desde a Cultura, Língua, Arte, Inovação, ao Mar, Desenvolvimento, Ambiente, Economia, Turismo, Sociedade, Património e Cidadania.
O programa DIÁLOGOS COM O MOSTEIRO DOS JERÓNIMOS está organizado em 2 ciclos: de 26 de abril e 5 de Julho e de 13 de setembro e 6 de janeiro.

Estão já confirmadas as seguintes sessões:

10 de maio • 18h 15m • Eduardo Lourenço e José Tolentino Mendonça –Portugalidade e universalidade: que culturas na cultura
24 de maio • 18h 15m • Adriano Moreira e Pedro Magalhães – Lusofonia e a CPLP como desafio.
7 de junho • 18h 15m • Manuela Ferreira Leite e Pedro Norton – Património público: números, interrogações e arte
21 de junho • 18h 15m • António Silva Ribeiro e Tiago Pitta e Cunha – Mar: Encontros e reencontros
5 de julho • 18h 15m • Filipe Duarte Santos e Helena Freitas – A luxúria ambiental dos Descobrimentos e a biodiversidade de amanhã

O Mosteiro dos Jerónimos representa o primeiro movimento global da nossa civilização – tento provocado à época, alterações significativas na economia, cultura, ambiente, desenvolvimento, ciência etc. temas que reclamamos para este diálogo com vista a prepararmos um melhor futuro, ou nos preparamos melhor para o futuro. Convidamos ainda o público a usufruir deste monumento singular, Património Mundial, colocando a questão: há quanto tempo não vai aos Jerónimos?

Fundação da Juventude e Ciência Viva procuram procura jovens cientistas

  • Os 100 melhores projetos irão participar na 12ª Mostra Nacional de Ciência, a realizar-se de 31 de Maio a 2 de Junho no Centro de Congresso da Alfândega do Porto.
  • Para os melhores projetos há prémios e a oportunidade de participarem em certames internacionais com trabalhos das mais variadas áreas de estudo.

Dirigido a todos os jovens que, em ambiente escolar, desenvolvem projetos de investigação, o Concurso Jovens Cientistas tem como objetivo promover os ideais da cooperação entre jovens cientistas e estimular o aparecimento de talentos nas áreas da ciência, tecnologia, investigação e inovação.

O Concurso para Jovens Cientistas é desenvolvido pela Fundação da Juventude desde 1992, tendo como objetivos promover os ideais de cooperação e intercâmbio entre jovens cientistas e investigadores, estimulando o aparecimento de jovens talentos nas áreas da Ciência, Tecnologia, Investigação e Inovação. De âmbito nacional, o Concurso pretende incentivar um espírito competitivo nos jovens, através da realização de projetos científicos inovadores. Os projetos devem enquadrar-se numa das seguintes áreas de estudo: Biologia; Ciências da Terra; Ciências do Ambiente; Ciências Médicas; Ciências Sociais; Economia; Engenharias; Física; Informática/Ciências da Computação; Matemática; Química e Bio economia.

A Ciência Viva, co-organizadora desta iniciativa, reunirá um vasto quadro de professores e investigadores de reconhecido mérito nas diferentes áreas científicas, que serão responsáveis por eleger os 100 melhores projetos para participar na 12ª Mostra Nacional de Ciência, a realizar-se de 31 de Maio a 2 de Junho no Centro de Congresso da Alfândega do Porto.

As candidaturas podem ser submetidas até 20 de Abril em www.fjuventude.pt. Para os vencedores há 4.000€ em prémios e a oportunidade de representarem Portugal em prestigiadas competições internacionais.

European University Association: UMinho é case study de investigação e inovação para sustentar a competitividade regional

A European University Association (EUA) lançou uma iniciativa no âmbito da identificação de agentes importantes para a geração, difusão e transferência de conhecimento. A UMinho foi convidada para integrar um estudo em que se constitui como case study para identificação de tendências que demonstrem a contribuição vital da Universidade para o desenvolvimento regional.

Uma delegação da EUA está de visita à Universidade até sexta-feira, dia 13, com o objetivo de conhecer o seu ecossistema de inovação, através do qual se procura sublinhar o contributo das universidades na identificação das tendências, na construção de capacidade de investigação e inovação regional para sustentar a competitividade, no estímulo à inovação nas empresas e no fornecimento de recursos humanos altamente qualificados.

No âmbito desta iniciativa, que integra o designado projeto “Innovation Ecosystem”, e durante esta visita serão entrevistados diversos atores da região, bem como a equipa reitoral e a estrutura de gestão da Universidade, os seus professores, investigadores, técnicos e estudantes.

Este estudo será levado a cabo em todo o continente europeu, com cerca de dez universidades selecionadas e que caracterizem diferentes tipos de ecossistemas de inovação. A escolha da UMinho – única instituição portuguesa – para este estudo contribuirá para a consolidação da imagem da instituição no contexto europeu, no que ao seu ecossistema de inovação diz respeito.

Law Academy colabora com Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

Avaliação e recuperação do dano pessoal pós-traumático é o tema do workshop a realizar no Centro de Investigação Médica da Faculdade de Medicina, pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, nos próximos dias 13 e 14 de abril.  Inserido neste contexto e no âmbito do projeto Law Academy, os advogados Nuno Cerejeira Namora, Pedro Marinho Falcão e Carla Naia, vão intervir como oradores e moderadora, respetivamente, numa abordagem às questões do direito laboral, no campo da avaliação e reparação do dano pessoal em direito do trabalho.

A avaliação do dano pessoal pós-traumático, com o objetivo de orientar para uma adequada reparação deste dano, seja judicial ou extrajudicial, constitui uma área que, sendo em Portugal essencialmente assumida pela medicina legal, é entendido pela organização deste workshop como “inegavelmente multidisciplinar”.

“Trata-se de uma área em evolução contínua, acompanhando tanto a evolução do conhecimento científico como o legal e social a nível nacional e internacional e por isso entendemos ser fundamental a colaboração da Law Academy. A disponibilização de cursos e conhecimentos nesta matéria que sejam regularmente atualizados, permitirão aos juristas deter conhecimentos fundamentais para melhor orientarem os casos que acompanham, seja no âmbito do Direito Penal, Civil, do Trabalho ou outro”, adianta Nuno Cerejeira Namora. Para Pedro Marinho Falcão, “servirá também para que os múltiplos atores que trabalham nesta área saibam como se articular entre si. Tudo isto será importante para a promoção da justiça e da saúde/bem-estar dos cidadãos”.

O projeto Law Academy assenta na formação e na investigação jurídica e tem como objetivo facilitar a inserção dos seus membros no mercado de trabalho e aposta numa investigação pluri e interdisciplinar que agrega estudantes, licenciados, mestres, doutores e demais graduados que prossigam os estudos em programas nacionais e além-fronteiras no âmbito das ciências jurídicas.

CANDIDATURAS AO PRÉMIO ECOTROPHELIA PORTUGAL 2018 ENCERRAM SEXTA-FEIRA

Equipas de estudantes do Ensino Superior têm até ao dia 13 de abril para submeterem online as suas candidaturas de produtos alimentares eco-inovadores, habilitando-se a prémios monetários e a representar Portugal na competição europeia do ECOTROPHELIA na feira SIAL Paris, em França.

Encerra esta sexta-feira o período de candidaturas ao Prémio ECOTROPHELIA Portugal, uma competição coorganizada pela PortugalFoods e pela FIPA – Federação das Indústrias Portuguesas AgroAlimentares, que promove a inovação no setor agroalimentar. Até ao dia 13 de abril, equipas de estudantes do Ensino Superior podem submeter as suas candidaturas no
site oficial da competição. Aqui podem encontrar toda a informação relevante, como o formulário online de candidatura, o regulamento da competição e o manual de apoio à candidatura.

O Prémio ECOTROPHELIA destina-se a grupos de alunos de licenciatura, pós-graduação e/ou mestrado, de dois a dez elementos com idade igual ou inferior a 35 anos. O ECOTROPHELIA tem por objetivo o desenvolvimento de um produto eco-inovador, que deve ter em conta as propriedades nutricionais e organoléticas (como sabor, cor e aroma) e o seu potencial e relevância comercial, mas também sensibilizar para uma melhor utilização dos recursos. A ideia é promover a criação de laboratórios de inovação para estudantes e universidades, aproximando o meio académico da indústria e abrir caminho para futuras parcerias.

O Prémio ECOTROPHELIA Portugal realiza-se em duas fases. A primeira fase compreende uma ronda nacional em que os estudantes submetem a candidatura do seu projeto. O Comité de Pré-Seleção elege 10 finalistas, sendo estes posteriormente alvo de avaliação por um painel de personalidades do setor, numa competição marcada para 24 e 25 de maio. Os três melhores classificados recebem prémios no valor de 2.000€, 1.000€ e 500€, respetivamente. A segunda fase contará com a participação do vencedor português no ECOTROPHELIA Europa em representação de Portugal, que terá lugar a 21 e 22 de outubro, na feira SIAL Paris, em França.

BioISI abre portas a estudantes para estágio e investigação

No próximo dia 11 de Abril, investigadores do BioISI – Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas –  estarão no átrio do edifício C3 da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), entre as 12h00 e as 14h00, para dar a conhecer estágios e oportunidades de investigação a estudantes de mestrado e outros interessados.

As várias oportunidades disponíveis inserem-se nas 5 áreas de investigação em que o BioISI desenvolve a sua atividade: Bioinformática, Biotecnologia, Biomedicina, Química Biológica, Biofísica. “Cada uma das áreas será apresentada pelos investigadores responsáveis, com o objetivo de auxiliar os estudantes a tomar uma decisão informada e a optar pela área com que mais se identificam, motivando o envolvimento em investigações que permitem desafiar os problemas complexos das ciências da vida”, refere Margarida Gama Carvalho, coordenadora da Unidade de Expressão Génica e Regulação do BioISI.

A participação é gratuita e as inscrições podem ser feitas até dia 10 de Abril, através do email bioisicom@fc.ul.pt.

FCH-Católica lança curso intensivo em mobile

Com o objetivo de responder às necessidades de empreendedores, designers ou
developers, a Escola de Pós-Graduação e Formação Avançada da Faculdade de
Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa anuncia a criação do curso
Mobile Match, a decorrer entre 9 e 13 de abril.

Em parceria com a Beta-i, a CoWork Lisboa, a TorkeCC e a StartUp Sintra, esta formação
pretende criar sinergias em torno do desenvolvimento de aplicações para dispositivos
móveis, promovendo a troca de conhecimento entre especialistas no comportamento
humano e no desenvolvimento, juntando três áreas fundamentais – comunicação e
marketing, design e informática. No final do curso, os alunos serão capazes de olhar
para os projetos mobile de uma perspetiva multidisciplinar.

“O Mobile Match é mais do que uma formação intensiva em mobile. Durante uma
semana, os alunos irão aprender tudo o que é fundamental para lançarem um
negócio mobile ao mesmo tempo que desenvolvem networking e procuram parceiros
para pôr em prática projetos concretos.” sublinha Inês Teixeira-Botelho,
Cocoordenadora Cientifica da Formação.

Para que os alunos possam pôr em prática os conhecimentos adquiridos durante a
formação, serão oferecidos dois prémios: um mês de incubação na Cowork Lisboa
e uma vaga para o programa de Aceleração da Startup Sintra.

As candidaturas encontram-se abertas e pode ser consultada informação adicional.

Universidade Europeia, IADE – Universidade Europeia e IPAM dinamizam Semana Internacional

  • Áustria, Bélgica Brasil, China, Holanda, Dinamarca, França, Alemanha, Itália, Turquia e Peru são alguns dos países representados.

A Universidade Europeia, o IADE-Universidade Europeia e o IPAM promovem, entre 9 e 13 de abril, a 12ª Semana Internacional nos Campus da Quinta do Bom Nome, Santos e LISPOLIS, em Lisboa, e no Campus do IPAM, no Porto.

Sob o tema “(Intervening in) the city”, a 12ª Semana Internacional analisa o tema da cidade como espaço de intervenção e convida à partilha de experiência e conhecimento com uma comunidade académica multicultural ue vai reunir cerca de 50 professores internacionais, oriundos de 15 países, cujas universidades são parceiras da Universidade Europeia, do IADE – EU e do IPAM.

A iniciativa desafia docentes e estudantes a refletir sobre cidades emblemáticas do ponto de vista histórico, nomeadamente Lisboa e Porto, reconhecidas pelas suas exibições monumentais de poder e grandeza, coabitando lado a lado com ruas sinuosas, repletas de edifícios medievais.

Com uma história de ocupação e conquista, cercos e paz, riqueza e fome, monarquia e anarquia, diversidade e tradição, Lisboa a Porto são, simultaneamente, espaços de intervenção contemporânea e de promoção do empreendedorismo e diversidade, servindo de inspiração à Semana Internacional da Universidade Europeia, IADE –EU e IPAM.

“Qual é o papel do design na construção de espaços urbanos habitáveis?”; “De que forma é que as escolas de negócios e as ciências sociais podem gerar conhecimento sobre e para as cidades e seus habitantes?”; “Como podemos criar e promover espaços de aprendizagem e educação nas cidades do futuro?”; “Que tipo de turismo (s) queremos no futuro?” e “Como o marketing pode contribuir para gerar valor em ambientes urbanos, locais e globais?” Constituem algumas dos temas a abordar nas international classes que se realizam entre 9 a 13 de abril, nas instituições da Laureate International Universities em Portugal.

Durante a Semana Internacional vai ainda decorrer uma Feira onde toda a comunidade poderá contactar com os representantes de universidades internacionais parceiras, tomando conhecimento das oportunidades de mobilidade existentes e partilhando experiências com os estudantes de mobilidade atualmente inscritos nas três instituições e que, com orgulho, representam as suas universidades de origem. Os participantes vão poder ainda ouvir testemunhos de jovens na primeira pessoa sobre as suas diferentes experiências internacionais em várias partes do globo.

Esta é uma iniciativa muito aguardada nos Campus da Universidade Europeia em Carnide e LISPOLIS, do IADE- Universidade Europeia em Santos e do IPAM, em Lisboa e no Porto, pelo enorme sucesso das edições anteriores e pela oportunidade única de partilhar conhecimentos e experiências entre comunidades universitárias de todo o mundo.

Investigadora da UMinho contribui para a compreensão do autismo

  • Dia Mundial da Consciencialização do Autismo é assinalado na segunda-feira, dia 2 de abril

Uma investigadora da Universidade do Minho está a estudar se o autismo é influenciado por alterações na parte sensorial do cérebro, impedindo a interação social e com o ambiente. O objetivo é perceber os circuitos neuronais por detrás dos comportamentos associados a este distúrbio, que afeta 70 milhões de pessoas no mundo e uma em cada mil crianças em Portugal. Esta segunda-feira, 2 de abril, assinala-se o Dia Mundial da Consciencialização do Autismo.

A cientista vai avaliar o registo cerebral de ratinhos modelo de autismo, nomeadamente na zona do córtex sensorial, que está ligada aos estímulos auditivos, visuais e táteis, permitindo a perceção do mundo. “Queremos perceber porque é que as pessoas com esta perturbação veem o mundo de forma diferente. A origem do autismo ainda não é conhecida, mas terá várias causas associadas”, explica Patrícia Monteiro, que trabalha no Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde (ICVS) da UMinho, em Braga. Tem-se dedicado ao tema há vários anos, incluindo o doutoramento no MIT (Instituto de Tecnologia do Massachusetts), nos EUA, e já publicou em revistas ímpares como a “Science”, “Nature” ou “Neuron”.

Por exemplo, descobriu que é possível reverter alguns comportamentos ligados ao autismo na idade adulta, como o défice de interação social e os movimentos repetitivos. Para aí chegar, identificou uma associação entre o espectro do autismo e o gene Shank3. Este gene liberta uma proteína com o mesmo nome, que facilita a comunicação entre neurónios. Quando o Shank3 sofre mutações, dificulta essa comunicação, provocando alterações do comportamento. Há 1% de autistas que nascem com esse gene “adormecido”.

Patrícia Monteiro demonstrou que se pode “ligar” e “desligar” a proteína em ratinhos com esta mutação, corrigindo o gene. Mais: se a correção do gene for feita em tenra idade, pode-se também reverter a ansiedade e a coordenação motora. Ou seja, quando mais cedo for a deteção, mais características sociais, comportamentais e comunicacionais se pode recuperar.

“Ao entendermos os mecanismos de ação do Shank3 e identificarmos as redes de neurónios afetadas, poderemos corrigir as alterações provocadas, mesmo sem sabermos a origem biológica do autismo. E, a partir daqui, vamos poder igualmente intervir noutros casos de autismo”, diz Patrícia Monteiro, para vincar: “Embora estas experiências não tenham para já aplicação direta nos humanos, ajudam-nos a compreender o conjunto de alterações biológicas potencialmente subjacentes às perturbações do espectro do autismo, em que vários aspetos do desenvolvimento da criança são afetados e permanecem na vida adulta”.

Patrícia Monteiro tem 33 anos e já recebeu bolsas de investigação da Organização Europeia de Biologia Molecular, do Centro de Neurociências e Biologia Celular, da Fundação para a Ciência e Tecnologia e do Programa Erasmus. É a primeira cientista radicada em Portugal com a “Society in Science – The Branco Weiss Fellowship”, uma das bolsas de pós-doutoramento mais prestigiadas no mundo, sendo atribuída pelo Instituto Federal de Tecnologia de Zurique, na Suíça. É com esta bolsa que está também no ICVS a estudar, até 2021, de que forma o stress crónico conduz a doenças como a depressão e a ansiedade.

AICEP e INDEG-ISCTE vão ajudar as empresas portuguesas a internacionalizarem-se

  • Programa de formação avançada será apresentado a 3 de abril.

A aicep Portugal Global e o INDEG-ISCTE vão lançar o Export Advance – Programa Avançado de Internacionalização. Destinado a pequenas e médias empresas, o programa foi desenvolvido em estreita colaboração ao longo dos últimos 6 meses e tem como objetivo promover a internacionalização das empresas através da formação avançada e do desenvolvimento de um projeto aplicado de internacionalização à medida de cada empresa. A primeira edição do programa arranca a 8 de maio e as candidaturas poderão ser submetidas entre os dias 3 e 26 de abril.

O Export Advance será o primeiro programa da Academia Internacionalizar, um novo serviço que a AICEP irá prestar às empresas que se pretendem internacionalizar, assente em programas de Formação Avançada, através de parcerias com Universidades e Business Schools.

“Estas novas ofertas vão significar um reforço da qualidade do serviço prestado às empresas com foco na internacionalização, potenciando os seus resultados”, afirma o Presidente da AICEP, Luís Castro Henriques. A Academia Internacionalizar insere-se no Plano Estratégico da AICEP 2017-2019 no âmbito do aumento da oferta de produtos customizados e de elevado valor acrescentado.

“Para o INDEG-ISCTE, a parceria com a AICEP é um privilégio e um sinal de reconhecimento por ter sido a entidade selecionada a conceber o primeiro programa para a Academia Internacionalizar, à semelhança do que aconteceu com as Academias das Infraestruturas de Portugal, da Caixa Geral de Depósitos, do Millennium BCP e do Banco de Portugal”, destacou Paulo Bento, Presidente do INDEG-ISCTE.

A cerimónia de arranque da Academia Internacionalizar e apresentação do programa Export Advance terá lugar no próximo dia 3 de abril às 9h30, nas instalações do INDEGISCTE.