20 Setembro, 2018
  • Curso pioneiro para pessoas com deficiência intelectual em Portugal arranca na ESES do IPSantarém no ano letivo 2018/19.

A Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém foi distinguida no Seminário Internacional “Educação Inclusiva – atitudes que transformam”, que decorreu nos dias 14 e 15 de setembro em Lisboa: com o primeiro prémio CBI of Miami – atribuído ao melhor trabalho apresentado – para o trabalho “Literacia Digital para o Mercado de Trabalho – uma formação no ensino superior para jovem com dificuldade intelectual e desenvolvimental”, da autoria de Maria Potes Barbas, Isabel Piscalho, Cristina Novo, Helena Luís, Carla Bastos, Nádia Lopes & Mário José.

Adicionalmente, a ESES foi ainda premiada com o 2º lugar para o trabalho “Projeto Sou, Consigo e Faço – A inclusão profissional das pessoas com deficiência no mercado de trabalho”, da autoria de Helena Carona, Isabel Piscalho e Filipa Camacho.

Os referidos trabalhos são o resultado de projetos da ESES/IPSantarém que estão na base do lançamento do primeiro modelo de formação de educação inclusiva em contexto de ensino superior para pessoas com deficiência intelectual a ser realizado em Portugal: o curso de Literacia Digital para o Mercado de Trabalho, que tem início no ano letivo 2018/19.

Destinado a um público-alvo bastante específico – jovens com dificuldade intelectual e de desenvolvimento – o curso de Literacia Digital para o Mercado de Trabalho pretende colmatar uma lacuna na oferta formativa do nosso País e, desta forma, minimizar a falta de formação profissional adaptada. Apesar de não conferir um título ou grau de formação, responde a todas as diretivas do Conselho Nacional de Educação e, por isso, confere certificação legal.

Tendo como principal missão promover a inclusão profissional das pessoas com deficiência no mercado de trabalho, o plano de estudos do curso visa dotar os/as jovens de competências sociais e emocionais necessárias para interagir com sucesso em diferentes contextos, a fim de trabalhar de forma satisfatória em equipa, bem como fornecer competências de tecnologias da informação e das comunicações; dotar de flexibilidade, entendida como capacidade de adaptação às mudanças e como primeiro passo na aptidão relativamente à capacidade de autoavaliação para analisar o respetivo trabalho; bem como capacitar para aplicar conceitos, teorias e princípios adquiridos para a resolução de problemas e para a tomada de decisões em contexto laboral; além de fomentar o entusiasmo para a aprendizagem ao longo da vida. Em suma, este curso prepara os/as jovens para diversas saídas profissionais, tais como: administração pública; centros profissionais; escolas; empresas; seguros; serviços auxiliares; ou entidades hoteleiras

Os critérios de seleção para a frequência do curso incluem a apresentação de um atestado de incapacidade igual ou superior a 60%, ter competências básicas mínimas ao nível da leitura e da escrita e competência média a média/alta em termos de sociabilidade. Os/as candidatos/as são ainda sujeitos a uma entrevista de avaliação psicopedagógica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *