Monthly Archives: Outubro 2019

IPS aprofunda redes de cooperação na 12ª Semana Internacional

Mais de 120 participantes partilham boas práticas entre 4 e 8 de novembro

Setúbal, 30 de outubro de 2019 – Mais de 120 participantes, 27 dos quais em representação de parceiros estrangeiros, vão estar reunidos na 12ª Semana Internacional do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), que decorre entre os próximos dias 4 e 8 de novembro, uma edição especial comemorativa do 40º aniversário da instituição e que projeta o futuro das redes de mobilidade no contexto do ensino superior.

Sob o lema “Creating networks for the next 40 years”, o evento vai este ano oferecer um programa de atividades académicas, culturais e científicas que permitirá uma reflexão conjunta e o aprofundamento de contactos em três grandes áreas de trabalho, nomeadamente Investigação & Desenvolvimento (I&D), novas práticas pedagógicas e estratégias de internacionalização.

sessão de abertura está agendada para as 9h00 de dia 5 de novembro, no Auditório Nobre do IPS, seguindo-se-lhe uma sessão plenária em que Albano Alves, vice-presidente do Politécnico de Bragança, e Hernâni Dias, presidente da Câmara Municipal de Bragança, partilharão com o auditório os ganhos alcançados nesta região do interior como resultado de uma estratégia de atração, acolhimento e integração de estudantes estrangeiros.

Através de várias sessões plenárias e mesas redondas, estes cinco dias de partilha serão uma oportunidade de pôr em contacto estudantes, docentes e investigadores do IPS e os colegas convidados de instituições nacionais e internacionais com quem o Politécnico de Setúbal mantém relações de cooperação, nomeadamente de países como Alemanha, Bélgica, Holanda, Brasil, Ucrânia, Polónia, Finlândia, Dinamarca, Eslovénia e Uzbequistão.   

Finalmente, às Práticas Pedagógicas, terceiro grande tema do encontro, será dedicado uma sessão de formação, agendada para quinta-feira, dia 7, na Escola Superior de Tecnologia do Barreiro (ESTBarreiro/IPS), abordando metodologias de ensino-aprendizagem inovadoras.

O programa social/cultural do encontro internacional inclui uma visita à Quinta da Bacalhôa, em Azeitão, que dá o nome a uma das maiores e mais inovadoras empresas vinícolas portuguesas, com passagem pela serra da Arrábida.

FCH-Católica recebe Walter Robinson, jornalista do caso Spotlight

Palma de Cima, 30 de outubro de 2019

Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa vai receber, no próximo dia 8 de novembroWalter Robinson, Editor-at-Large no The Boston Globe que trará a debate o tema “Democracy’s Survival is in Peril. Can a Free Press and Investigative Reporting save it?“.

De visita a Lisboa, o prestigiado jornalista de investigação que denunciou o caso Spotlight, sobre os abusos sexuais cometidos por padres católicos nos Estados Unidos da América, irá proferir uma palestra especialmente destinada aos alunos de Ciências da Comunicação, mas aberta a toda a comunidade académica. Walter Robinson irá falar sobre o seu percurso profissional e explicar como liderou a investigação deste caso que foi acompanhado em todo o mundo e que lhe valeu o Prémio Pulitzer 2003.

“Walter Robinson é uma das referências maiores do jornalismo contemporâneo, tendo-se destacado por cumprir uma das missões nobres do jornalismo: denunciar situações de abuso de poder.  O seu percurso profissional será certamente inspirador para os estudantes de jornalismo da Faculdade de Ciências Humanas e também para todos aqueles que acreditam na importância do jornalismo de investigação” salienta o Prof. Nelson Ribeiro, diretor da Faculdade.

A palestra terá lugar no Auditório 3, no campus da Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, a partir das 18h00.

Sobre Walter Robinson:

Walter V. Robinson é Editor-at-Large do The Boston Globe, onde as suas impactantes peças sobre acontecimentos locais, nacionais e internacionais estão na primeira página desde 1972. É também professor de jornalismo de investigação na Arizona State University e na Northeastern University. Robinson liderou a unidade de investigação Spotlight que, no início da década de 2000, denunciou o escândalo que encobriu os crimes de centenas de padres católicos em Boston, nos Estados Unidos da América. O caso foi amplamente mediatizado não só nos Estados Unidos da América como em todo o mundo, tendo valido ao jornalista o Prémio Pulitzer de 2003 por serviço público. A investigação serviu ainda de argumento para o filme O Caso Spotlight, vencedor de Óscar em 2015. Depois de liderar a equipa de investigação durante sete anos, em 2007 Robinson deixou o jornal para se tornar professor de jornalismo na Northeastern University. Em 2014, regressou ao jornal.

Candidaturas abertas para a 4ª Edição do Prémio de Voluntariado Universitário Santander 2019

  • Para além dos três vencedores, são premiados ainda os restantes sete finalistas e existe ainda um Prémio PVU Comunicação para o vídeo com o maior número de votos online
  • As candidaturas estão abertas e decorrem até 14 de novembro de 2019
  • Mais de 150 candidaturas em 3 anos

Lisboa, 24 de outubro de 2019. Com o objetivo de incentivar cada vez mais a prática de uma cidadania ativa através do voluntariado e recompensar o esforço das Instituições do Ensino Superior e os jovens mais envolvidos nestas atividades, o Santander Universidades acaba de lançar a 4.ª Edição do Prémio de Voluntariado Universitário (PVU). As candidaturas estão abertas até 14 de novembro de 2019.

O PVU Santander Universidades pretende distinguir os projetos solidários dos estudantes do ensino superior. A Instituição de Ensino Superior que apresentar o maior número de candidaturas será também premiada com a Menção Honrosa “IES + Voluntária”.

Tendo em conta a importância deste prémio, foi decidido reforçar o apoio financeiro nas diferentes categorias. Cada um dos três projetos vencedores receberá 4.000€, enquanto os restantes sete finalistas terão direito a um prémio 1.000€ cada. Existe ainda um Prémio PVU Comunicação para o vídeo finalista com o maior número de votos online, no valor de 1.000€.

Para além disso, os três vencedores terão direito à mentoria de um diretor do Banco Santander, capaz de ajudar a identificar oportunidades, esclarecer dúvidas e definir planos de ação. Finalmente, recebem ainda apoio à comunicação e divulgação dos seus projetos.

Na edição de 2018, foi criado um galardão de honra “IES + Voluntária” que foi atribuído à Universidade do Porto por ter sido a instituição que apresentou o maior número de candidaturas ao prémio. À edição do ano passado candidataram-se 57 projetos, um número recorde de participação, sendo que mais de metade dos projetos de voluntariado participantes tiveram como principal objetivo o combate à pobreza e à exclusão social.

O júri do PVU é composto pelo presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP), António Fontainhas Fernandes, pelo presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos, (CCISP), Pedro Dominguinhos, pelo presidente da Associação Portuguesa de Ensino Superior Privado (APESP), João Redondo, pela administradora do Santander Portugal, Inês Oom de Sousa e pelo responsável pela área de Sustentabilidade do Banco, Rui Miguel Santos. A socióloga Cristina Louro assume novamente a presidência do júri deste prémio.

Premiados PVU 2018

Amal Soap – Universidade Nova de Lisboa. Objetivos: Desenvolvimento de um negócio social de produção e comercialização de sabonetes, inspirados na indústria Aleppo, para integrar e capacitar mulheres sírias, refugiadas em Portugal.

O Meu Lugar no Mundo – Faculdades de Economia da Universidade do Porto e da Católica do Porto. Objetivo: Apoiar o estudo de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade económico-social da freguesia do Bonfim, Porto, contribuindo para o sucesso escolar, motivação e inclusão dos mesmos.

8 Hours Overtime for a Good Cause – Instituto Politécnico de Portalegre. Objetivo: Replica de um projeto internacional em Portalegre que, através do voluntariado de competências de estudantes de design, cria e produz peças de comunicação para entidades da economia social locais.

Santander e a sua aposta na Educação

O Santander em Portugal, através do programa Santander Universidades, assume o compromisso de promover as melhores práticas na resposta aos desafios da sociedade portuguesa, sendo já uma referência a nível nacional no que diz respeito à promoção do Ensino Superior, colaborando atualmente com 50 instituições do Ensino Superior. O Banco investe anualmente mais de €7 milhões na área de Responsabilidade Social e Corporativa.

O Banco Santander é o único banco europeu a integrar o ranking ‘Change the World’ 2018 das empresas que contribuem para melhorar o mundo (revista Fortune) pelo seu impacto positivo na sociedade, entre outros critérios. O seu forte compromisso com o Ensino Superior, que materializa através do Santander Universidades, também o distinguiu como a empresa que mais investe em Educação no mundo (Relatório Varkey / UNESCO / Fortune 500) e, converteu-se numa das suas imagens de marca, com 1.200 acordos de colaboração com universidades e instituições de mais de 20 países, mais de 1.700 milhões de euros destinados a iniciativas académicas desde 2002 e mais de 73.000 bolsas e ajudas universitárias concedidas em 2018 com o objetivo de contribuir para o progresso das pessoas, das empresas e da sociedade.

Para mais informações: https://pvu.ajudamos.pt/ 


Alunos de Licenciatura da FCH-Católica vão poder estudar nos Estados Unidos

Palma de Cima, 23 de outubro de 2019

Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa e a Kent State University assinaram um protocolo de intercâmbio que vai permitir aos alunos de Comunicação Social e Cultural enriquecer o programa de Licenciatura com a realização de um semestre letivo no Ohio.

Para além do programa Erasmus e dos protocolos internacionais de mobilidade já estabelecidos em universidades de países como a China, Japão, Coreia e Brasil, os alunos poderão agora ter uma experiência académica nos Estados Unidos da América, com isenção no pagamento de propinas junto da instituição americana.

“Depois de recentemente termos alargado a nossa rede de parcerias internacionais com a criação de um protocolo de mobilidade com a Denver University, no Colorado, estabelecemos agora uma nova parceria com a School of Communication Studies da prestigiada Kent State University. Através deste programa, os alunos de Licenciatura poderão estudar comunicação e os sistemas mediáticos no contexto americano. Esta possibilidade estava já disponível para os alunos do Mestrado em Ciências da Comunicação, sendo agora alargada ao programa de Licenciatura com efeito já neste ano letivo.” explica o Professor Nelson RibeiroDiretor da Faculdade de Ciências Humanas.

Paralelamente, os estudantes da Kent State University poderão estudar um semestre na FCH-Católica na Licenciatura em Comunicação Social e Cultural e no Mestrado em Ciências da Comunicação. Ficou ainda acordado que os alunos da Kent State podem colaborar em projetos de investigação no âmbito do Centro de Estudos de Comunicação e Cultura, recentemente classificado como um centro de excelência pela Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Com vários centros e institutos de investigação, a Kent State University tem uma longa história e tradição no ensino das Ciências da Comunicação, tendo sido uma das universidades pioneiras na oferta de cursos nesta área.

Universidade Europeia moderniza licenciatura de Gestão Hoteleira

Com uma nova estrutura curricular aprovada por seis anos

A Universidade Europeia reestruturou a Licenciatura em Gestão Hoteleira para adequar a sua oferta às necessidades dos estudantes e do sector tendo em conta a crescente competitividade na atividade hoteleira.

A licenciatura foi aprovada por seis anos pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior.

Esta é orientada para as metodologias de projet based learning prevendo, por isso, 480h de estágio ou de projeto. Com início no primeiro ano, o estágio repete-se nos anos subsequentes e permite orientar o estudante para o mercado.

Com estas finalidades práticas, assegura-se o estreitamento de relações com as empresas e os estudantes aprendem desde o primeiro dia a resolver desafios propostos pela indústria hoteleira.

Com um plano de estudos mais orientado para a experiência, foram incluídas unidades curriculares como “Sistema de Gestão de propriedades hoteleiras”, “Marketing Virtual” e Gestão de Eventos” e uma grande diversidade de conteúdos que permitem aos estudantes desenvolverem competências e aplicar os seus conhecimentos nas áreas de gestão, marketing, comercial e vendas aplicadas ao setor hoteleiro.

O corpo docente é formado por professores que ocupam lugares de referência na gestão hoteleira ao nível europeu e as aulas decorrem num campus totalmente dedicado à Faculdade de Turismo e Hospitalidade. Neste campus funciona uma agência de viagens, um centro de inovação e empreendedorismo, quatro laboratórios de tecnologia focados no turismo e na hotelaria, uma academia de línguas e uma cozinha de experimentação, que permite um ensino prático e focado nas mais recentes tendências turísticas.

Desde a sua génese orientada para o estabelecimento de relações com os stakeholders do sector, esta licenciatura tem como foco a excelência de serviço ao cliente, as tecnologias de informação, a capacidade de planeamento e, sobretudo, a gestão e motivação dos recursos humanos.

A Licenciatura em Gestão Hoteleira da Universidade Europeia apresenta múltiplas parcerias com entidades do sector ao nível nacional e internacional bem como uma taxa de empregabilidade de 97,3 %, de acordo com dados Infocursos 2019.

As saídas profissionais incluem os cargos de Gestor de Alojamento, Gestor de Catering, Gestor de Eventos, Gestor/Director Hoteleiro bem como Gestor de Hostels e Alojamentos locais.

A reestruturada Licenciatura em Gestão Hoteleira é lecionada em regime diurno e teve início em setembro de 2019. Os interessados podem obter mais informações em: https://www.europeia.pt/oferta-formativa/licenciaturas/licenciaturas/gestao-hoteleira.

Estudantes removem 2, 5 toneladas de lixo do Estuário do Sado

Escolas do IPS vão receber Bandeira Verde Eco-Escolas

Perto de 2, 5 toneladas de lixo foram esta quarta-feira retiradas da zona industrial da Mitrena, em mais uma ação de limpeza das margens do Estuário do Sado realizada pelos estudantes recém-chegados ao Instituto Politécnico de Setúbal (IPS).

A operação de voluntariado voltou a integrar o programa de acolhimento aos novos estudantes do IPS, mobilizando um total de 600 jovens, divididos em 12 equipas de trabalho, que se distribuíram por várias das zonas consideradas críticas na margem norte do Estuário do Sado.

Entre os resíduos recolhidos, destacam-se 520 embalagens plásticas de sal fino, usado pelos mariscadores para a apanha do lingueirão. No total, serão recuperados para reciclagem 527 quilos de vidro e 229,5 de plástico.

Uma praxe diferente, aposta do IPS e da sua Associação Académica, que deixará marcas positivas no património natural de Setúbal, ao impedir que estes quase 2 500 quilos de lixo, largado à beira rio, pudessem contaminar as pradarias marinhas do Sado, grande bandeira da cooperativa Ocean Alive, com quem o IPS repete a parceria nesta iniciativa. A ação de sensibilização ambiental contou também com os apoios da Câmara Municipal de Setúbal, Junta de Freguesia do Sado, Transportes Luísa Todi e Lidl.

A sustentabilidade ambiental, dentro e fora dos campi, é uma missão assumida e já em curso no IPS, como comprova a Bandeira Verde Eco-Escolas que, a partir de 18 outubro, passará a ser hasteada nas suas cinco escolas superiores.

A distinção é atribuída pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), que gere em Portugal esta rede internacional de educação para o desenvolvimento sustentável, e premeia um conjunto de intervenções que têm como denominador comum a promoção da mudança de comportamentos para uma melhoria do desempenho ambiental, quer internamente, quer na comunidade alargada da região de Setúbal.

Politécnico de Setúbal foi a instituição que mais cresceu nas colocações

Taxa de ocupação de 83,6 por cento, após a 3.ª fase do Concurso Nacional de Acesso

Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) acaba de preencher mais 22 vagas, somando 1 011 novos estudantes colocados após a 3.ª fase do Concurso Nacional de Acesso (CNA) ao Ensino Superior, cujos resultados foram hoje divulgados pela tutela. Concluídas todas as fases do CNA, o IPS destaca-se, segundo os dados oficiais, como a instituição de ensino superior que mais cresceu em relação a 2018/2019, registandouma taxa de ocupação de 83,6 por cento.

Com um total de 46 058 novos estudantes colocados a nível nacional, este ano letivo é marcado por um aumento da procura na ordem dos 1,6 por cento face a 2018/2019, que se regista sobretudo na oferta de ensino superior fora de Lisboa e Porto, como comprova a lista das instituições que apresentam maior variação de colocados em relação ao ano anterior, liderada pelo IPS e a que se seguem os politécnicos de Bragança e Guarda. 

Trata-se, segundo o presidente da instituição, Pedro Dominguinhos, do “melhor ano desta década em termos de colocações no Concurso Nacional de Acesso”. Se a estes resultados somarmos ainda as vagas preenchidas através dos outros mecanismos de ingresso – CTeSP (cursos técnicos superiores profissionais), concursos e regimes especiais – o IPS alcança este ano mais de 2 400 novos estudantes, prevendo-se, após o término de todas as matrículas, um total de 7 000 estudantes em 2019/2020.

Um número recorde que, sublinha Pedro Dominguinhos, demonstra “a capacidade de atração e a credibilidade que o IPS tem granjeado ao longo dos anos, o que se alicerça no trabalho que é feito pelos docentes e não docentes, mas sobretudo nos diplomados, os nossos maiores embaixadores, pelo reconhecimento que têm no mercado de trabalho”. 

CANDIDATURAS ABERTAS PARA INTERCÂMBIO NO ESTRANGEIRO

Associação Intercultura-AFS Portugal abre candidaturas para jovens do Ensino Secundário participarem num intercâmbio intercultural no estrangeiro, durante 3 meses ou um ano letivo completo. Prazo termina a 31 de Outubro.

As candidatas e os candidatos devem ter entre 15 a 18 anos de idade, bom desempenho e motivação escolares, vontade de conhecer novas culturas e aprender com experiências diferentes. Os jovens vão viver com uma família de acolhimento voluntária, frequentar a escola secundária local e inserir-se na comunidade envolvente.

No presente ano letivo, 68 estudantes portugueses encontram-se no estrangeiro a participar neste intercâmbio intercultural.

Matilde esteve na Finlândia em 2018 e, numa palavra, descreve a experiência AFS como “recompensadora”. «É incrível o quanto nos moldamos e tornamos mudança. Em retrospetiva, não faria metade do que tenho feito se não estivesse na Finlândia”, diz.

Segundo a Intercultura-AFS Portugal, o programa de intercâmbio AFS tem comoobjetivo proporcionar uma experiência de aprendizagem intercultural que promove a diversidade como fonte de aprendizagem para todos (estudante, família, escola e comunidade de acolhimento).

Existem três programas de intercâmbio AFS.

O programa trimestral PEACE (Paz na Europa e Ásia através da Educação para a Cidadania Global) existe desde 2018 e consiste numa experiência de intercâmbio em que o estudante vive durante um trimestre letivo na Tailândia ou na Índia com uma família de acolhimento. O estudante frequenta também uma escola secundária local e desempenha um papel ativo na comunidade local, através de ações de voluntariado focadas na educação e na cidadania global.

Para o Programa AFS anual, os destinos disponíveis são: Alemanha, Argentina e Uruguai, Áustria, Bélgica Flandres, Costa Rica, Dinamarca, Eslováquia, Estados Unidos da América, Filipinas, Finlândia, França, Holanda, Hong Kong, Hungria, Itália, Japão, Malásia, Noruega, Polónia, República Checa, Rússia, Sérvia, Suíça, Tailândia e Turquia.

A Sérvia é um destino novo para o Programa AFS anual.

Para o Programa AFS trimestral – Cidadania Europeia, os destinos disponíveis são:

Alemanha, Áustria, Bélgica Flandres, Bélgica Francófona, Dinamarca, Eslováquia, França, Hungria, Itália, República Checa e Rússia.

A associação promotora da iniciativa está aberta a candidaturas para Bolsas AFS, que poderão cobrir entre 5% a 40% do valor da Taxa de Participação do Programa AFS anual. Para o ano letivo 2020/2021, a Intercultura-AFS Portugal disponibiliza uma Bolsa de valor fixo para a Sérvia, no valor de 35%.

As candidaturas estão abertas no site da associação Intercultura-AFS em:

www.intercultura-afs.pt/

Sobre o Programa AFS – Estudar no Estrangeiro

O Programa AFS – Estudar no Estrangeiro é uma experiência de intercâmbio em que o participante vai viver durante um ano ou trimestre noutro país, com uma família de acolhimento voluntária e estudar numa escola secundária. Durante esta experiência vai conhecer outras referências culturais, modos de vida, valores e comportamentos diferentes dos seus. Aprender através das experiências AFS implica um crescimento e mudança dos valores pessoais, estabelecimento de relações interpessoais, conhecimento e sensibilidade intercultural e consciência global de assuntos internacionais.

Sobre a Intercultura-AFS Portugal

A Intercultura-AFS Portugal é uma Associação Juvenil de Voluntariado, sem fins lucrativos, com estatuto de Instituição de Utilidade Pública. Trabalha na área da educação não-formal para uma Aprendizagem Intercultural e Educação Global desde 1956, promovendo intercâmbios nacionais e internacionais envolvendo jovens, famílias e professores, instituições e a comunidade em geral. A Intercultura–AFS faz parte de uma rede internacional representada em 59 países e com sede em Nova Iorque – EUA. A nível internacional, a rede AFS é membro oficial da UNESCO e, em Portugal, representa ainda a European Federation for Intercultural Learning (EFIL) e é membro do Conselho Nacional de Juventude (CNJ).

Para mais informações contactar:

rita.viana@afs.org
Tel: + 351 21 324 7070