Author Archives: pbueno

Estão abertas as inscrições para a Escola Molecular da FCTUC

Abre esta sexta-feira, dia 17, a fase de inscrições para a 2.ª edição da Escola Molecular, a primeira escola pré-universitária de Química em Portugal. A iniciativa, promovida pela Molecular JE, Júnior Empresa do Departamento de Química da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), vai decorrer entre 29 de fevereiro e 25 de abril.

A Escola Molecular dirige-se aos alunos do 10.°, 11.° e 12.° ano do ensino secundário, com o objetivo de lhes mostrar diferentes áreas de aplicação prática da Química, desenvolvendo o gosto por esta ciência fundamental. Composta por aulas teóricas, palestras e atividades laboratoriais (lecionadas e coordenadas na sua maioria por investigadores e docentes da FCTUC) a iniciativa tem sessões agendadas para 29 de fevereiro, 14 e 28 de março e 18 e 25 de abril.

Este ano, o número de participantes na Escola Molecular deverá mais do que duplicar em relação aos 36 da edição inaugural: estão disponíveis 75 vagas (25 por cada ano do ensino secundário). A inscrição pode ser feita, até dia 31 de janeiro, através do endereço https://forms.gle/Xk63hz2zoAygryS58. Todas as aulas vão decorrer no Departamento da FCTUC, parceira institucional da Molecular JE, e coorganizadora da Escola Molecular – estando a coordenação científica da Escola Molecular a cargo de Sérgio Rodrigues, docente da FCTUC e coordenador nacional da componente de Química do Programa de Química e Física A do ensino secundário.

IPAM analisa experiência de luxo na era digital

Na era do digital, a experiência de luxo: entre o efémero e o eterno” é o tema do seminário que se realiza na próxima quinta-feira, dia 9 de janeiro, às 19h, no auditório do IPAM Porto.

O luxo, a tecnologia, a inovação e a conectividade dão o mote a esta iniciativa que se destina a todos os interessados pela área do marketing e do luxo, apresentando novas perspetivas acerca do sector e das especificidades dos seus targets. 

Confrontados com as novas gerações de consumidores, as novas tecnologias e uma visão 360 do mundo, os oradores convidados vão refletir sobre os atuais desafios das marcas que, devido à transformação digital, se adaptam a novas estratégias para conquistar um consumidor cada vez mais informado, exigente, conectado e digital.

O painel de convidados inclui com oradores com uma vasta experiência na área, que analisam a complexidade do mercado de luxo e dos desafios da adaptação ao mundo digital. Artur Passos, Administrador da Lexus, Hugo Ribeiro da Silva, do Administrador da Porsche, Maria Clara Gomes, Administradora da AMPERconcept Investimentos (dedicada ao segmento de luxo nas áreas do imobiliários, corretagem comercial e turismo, entre outras) e Gonçalo Castel-branco, empreendedor e Fundador do The Presidential Train, guiados pela moderação de Cidália Neves, docente do IPAM e especialista no mercado de luxo, são alguns dos oradores presentes.

Paula Arriscado, docente e coordenadora do seminário, afirma “O setor do luxo está em transformação e as marcas respondem ao desafio da inovação digital acompanhando as novas gerações de consumidores e o promissor crescimento das vendas suportadas pelo online. Assim, uma estratégia a longo prazo requer uma maior aposta um branding que dê relevância à proposta de valor das marcas, a qual é fundamental para a sustentabilidade do negócio, pelo que aprender com os exemplos de diversos especialistas, tais como os que vêm partilhar no seminário, trará luzes para enfrentar os novos desafios”.

A iniciativa é aberta ao público e surge no âmbito da Unidade Curricular de Branding, inserida no Mestrado em Gestão de Marketing do IPAM Porto, sendo a organização da responsabilidade dos alunos, sob a orientação da docente Paula Arriscado.

Mais informações sobre o seminário em 

https://seminariosipamport.wixsite.com/seminariosipam

Olimpíadas de Biotecnologia põem alunos do secundário à prova

Inscrições abertas até 10 de janeiro de 2020

Iniciativa nacional é promovida pela Escola Superior de Biotecnologia em parceria com Sociedade Portuguesa de Biotecnologia

A partir de janeiro de 2020, os alunos do ensino secundário terão a oportunidade de colocar os seus conhecimentos na área de biotecnologia à prova na XV edição das Olimpíadas de Biotecnologia. A iniciativa, dinamizada pela Escola Superior de Biotecnologia (ESB) da Universidade Católica Portuguesa, no Porto, e pela Sociedade Portuguesa de Biotecnologia, visa a promoção da cultura científica e tecnológica entre os alunos, testando o conhecimento e o interesse pela temática nas suas múltiplas vertentes. Biotecnologia aplicada ao ambiente, saúde, alimentos e micróbios são os principais temas desta nova edição. Destaque-se que as inscrições já se encontram abertas e poderão ser feitas até 10 de janeiro de 2020, através do site www.esb.ucp.pt/olimpiadasbio.

Com a realização das Olimpíadas, a ESB pretende reiterar a pertinência da iniciativa que conta já com 15 edições e que aposta no reforço da aproximação do ensino superior ao ensino secundário. Fomentar a utilização do método científico na resolução de problemas, bem como estimular o interesse dos alunos em atividades realizadas fora da sua comunidade escolar, promovendo o intercâmbio de ideias são outros os objetivos da ação. Refira-se que as Olimpíadas integram duas eliminatórias locais – a primeira realizada a 12 de fevereiro de 2020 e a segunda a 18 de março de 2020 –, sendo que os finalistas terão a oportunidade de disputar o pódio a 22 de maio de 2020, numa final na Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa, no Porto.

ECOTROPHELIA: Quem será o próximo campeão da eco-inovação?

Candidaturas abertas até 13 de abril de 2020

4ª edição nacional do prémio que visa o desenvolvimento de um produto alimentar inovador e sustentável já arrancou

Já arrancou a 4ª edição do ECOTROPHELIA Portugal – iniciativa promovida pela PortugalFoods e que dá aos jovens universitários a oportunidade de elevar o seu espírito empreendedor e de desenvolver as suas ideias, criando produtos alimentares inovadores e sustentáveis. As candidaturas estão abertas e decorrem online, até 13 de abril de 2020, aqui. Refira-se que a maior competição europeia de eco-inovação alimentar contempla várias etapas, desde o conceito, a formulação, a produção e o packaging, até aos planos de marketing, de negócio e de vendas, sem descurar as vertentes nutricional e sensorial. A edição de 2019 mobilizou mais de 100 professores e investigadores e mais de 250 estudantes de mais de 25 instituições de ensino.

A iniciativa, que visa dinamizar e modernizar o setor agroalimentar com produtos eco-inovadores que possam fazer a diferença neste ecossistema – que é já um dos que mais contribui para a economia nacional – destaca-se, também, por permitir aos estudantes trabalhar em conjunto com especialistas em tecnologia alimentar e por consciencializar para uma melhor utilização de matérias-primas ou para um processo mais ecológico para redução do desperdício e do impacto ambiental. Possibilita, também, uma aproximação à indústria agroalimentar e ao tecido empresarial.

Depois de submetidas as candidaturas, segue-se a fase de avaliação e a escolha dos 10 finalistas. O grande vencedor será conhecido a 26 de maio, na Casa do Vinho Verde, no Porto. O projeto receberá um prémio monetário no valor de 2.000 euros e, ainda, apoio para aprimorar o seu produto, isto além da oportunidade de representar Portugal no ECOTROPHELIA Europe, iniciativa que conta com 20 edições e em que participam mais 16 países europeus. Refira-se que, em 2018, o Bean Ready – feijoada vegetariana, pronta-a-comer, confecionada com produtos tradicionais portugueses, desenvolvida por alunos da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa, no Porto, e da Universidade do Minho – foi o representante nacional.

Ecotrophelia Portugal 2020: Roadshow pelos caminhos de Portugal

Para dar a conhecer o prémio e ter um primeiro contacto com os jovens empreendedores, a PortugalFoods visita, durante os próximos meses, algumas instituições de ensino superior do país. O roadshow arrancou a 27 de novembro, na Universidade do Minho, no âmbito das XXII Jornadas de Engenharia Biológica, e já passou, entre outras, pela Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa, no Porto, um dos parceiros da competição.

UMinho está entre as universidades mais sustentáveis do mundo

É a melhor portuguesa e a 55ª do mundo, segundo o novo ranking da GreenMetric

A Universidade do Minho é a melhor instituição portuguesa e a 55ª no mundo no “UI GreenMetric World University Rankings 2019”, que avalia a sustentabilidade ambiental de 780 universidades de 85 países e que acaba de ser lançado. A UMinho é líder nacional desde 2017, quando se estreou na lista, e sobressai este ano nos indicadores de energia e alterações climáticas, resíduos, educação e investigação. O pódio inclui as universidades de Wageningen (Holanda), Oxford (Reino Unido) e Califórnia Davis (EUA). Há quatro academias britânicas no top 10.

Os resultados demonstram que a sustentabilidade ambiental é uma marca identitária da UMinho, faz parte de um compomisso estratégio de liderança nesta área e pretende-se construir uma comunidade mais saudável, vibrante e participativa, com vista a um futuro melhor. Revelam também o esforço da instituição em prol do desenvolvimento sustentável através do ensino, investigação e transferência de conhecimento, bem como nas suas práticas internas, políticas e procedimentos. O reitor Rui Vieira de Castro refere que as instituições de ensino superior têm “uma responsabilidade adicional” na sustentabilidade, considerada a única solução para os desafios globais segundo entidades como as Nações Unidas, o Fórum Económico Mundial e o Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável.

A UMinho também surge este ano como a melhor instituição de Portugal, a terceira ibérica e a 83ª no mundo a cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, segundo a primeira edição do “THE Impact Rankings”. A publicação da Times Higher Education destacou esta academia nos indicadores de parcerias, educação de qualidade, cidades e comunidades sustentáveis, saúde de qualidade e indústria, inovação e infraestruturas.

A UMinho foi a primeira universidade europeia a alinhar nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e a primeira do país a iniciar o relato público dos indicadores de sustentabilidade (em 2010), bem como a ser incluída na rede International Sustainable Campus Network, tendo ainda aderido à iniciativa United Nations Global Compact. Esta academia é um elemento catalisador da sua região, gerando impacto económico positivo anual acima de 200 milhões de euros, a que estão associados mais de 5000 postos de trabalho.

A estratégia é reforçada pelo plano de desenvolvimento integrado dos campi, pelo financiamento para projetos de I&D sobre sustentabilidade, pelo volume de publicações científicas, eventos e unidades curriculares sobre o tema, bem como pela valorização dos resíduos produzidos, pelo uso de mobiliário exterior inovador, pela redução de gastos de energia e, entre outros aspetos, pela parceria na candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia, envolvendo-se no território, aplicando investigação e integrando os vários saberes.

Aluno da UTAD recebe Prémio REN com tese de doutoramento sobre inteligência artificial

Trabalho sobre integração de energias renováveis vence melhor tese de mestrado

O vencedor da primeira edição do Prémio REN para melhor tese de Doutoramento foi Tiago Manuel Campelos Ferreira Pinto, da Universidade de Trás os Montes e Alto Douro, pelo seu trabalho “Apoio à Decisão para os comportamentos estratégicos dos agentes participantes nos mercados de energia elétrica”. Para além desta distinção, o Prémio REN, criado em 1995, voltou a distinguir as três teses de Mestrado mais inovadoras na área da Energia, tendo Nuno Gonçalo dos Santos Soares, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) alcançado o primeiro lugar com uma tese sobre a integração de energias renováveis. 

A entrega do Prémio REN decorreu hoje, dia 9 de dezembro, em Lisboa, durante uma cerimónia que contou com a presença, do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, que encerrou a sessão, de Rodrigo Costa, Presidente da REN, de Francisco Pedro Balsemão, Presidente do Grupo Impresa, e de João Peças Lopes, presidente do júri do Prémio REN, entre outros. A cerimónia da entrega de prémios foi antecedida de uma apresentação de Tom Rowlands-Rees, Head of Research EMEA, Bloomberg /BNEF, sobre o tema “Estamos preparados para a transição energética?”.

Esta foi a primeira edição do Prémio REN aberta a teses de doutoramento. A tese vencedora, de Tiago Manuel Campelos Ferreira Pinto, incide nas áreas complementares da inteligência artificial e dos sistemas de energia, através da proposta de soluções inovadoras para o apoio à decisão, de forma inteligente e adaptativa, dos agentes participantes nos mercados de energia elétrica, considerando a sua participação em múltiplas oportunidades de mercado.

Já a tese de Mestrado vencedora do Prémio REN 2019 é da autoria de Nuno Gonçalo dos Santos Soares, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP). Este trabalho parte do pressuposto de que com o aumento da integração das energias renováveis no mercado elétrico, devido ao crescimento das preocupações ambientais, surge a necessidade de aumentar a flexibilidade do sistema, não só devido à variabilidade da oferta, mas também devido à natureza muitas vezes imprevisível dos recursos renováveis. E tem como objetivo estudar as rampas flexíveis no contexto do mercado elétrico, por forma a aumentar a flexibilidade do sistema juntamente com a otimização através de programas DR.

Em segundo lugar, do Instituto Superior Técnico, ficou Guilherme Marto Paraíso, com um trabalho sobre redes de distribuição DC, enquanto o terceiro lugar foi atribuído a Cláudio Miguel Marques Pinto dos Santos, da FEUP. Esta tese versa sobre a implementação de sistemas de distribuição automatizados com tecnologias inteligentes para melhorar a fiabilidade e a eficiência da operação de sistema. Foram ainda atribuídas Menções Honrosas a João Pedro Pereira Carvalho e a Vasco Miguel Agante Campos, ambos da FEUP.

Criado em 1995, o Prémio REN destina-se a premiar as melhores teses de Mestrado no âmbito da energia, realizadas por alunos das áreas de Engenharia, Economia, Matemática, Física, Química, Sistemas de Informação e Computação. A edição deste ano é a primeira a premiar teses de doutoramento, sendo que a atribuição deste galardão só será feita a cada dois anos.

Ao longo das suas 24 edições, os trabalhos premiados no âmbito do Prémio REN têm vindo a acompanhar as transformações e desenvolvimentos que têm moldado o setor da energia, a antecipar desafios, identificar questões e a propor soluções inovadoras.

O vencedor da Melhor Tese de Doutoramento recebe 30.000€, enquanto que ao vencedor do Prémio de Melhor Tese é atribuído um valor monetário de 25.000€. O segundo lugar recebe um prémio no valor de 15.000€, e o terceiro lugar 10.000€. Cada menção honrosa terá um prémio de 2.500 €. 

IPS distinguido como instituição de ensino superior Mais Voluntária

Prémio de Voluntariado Universitário – PVU Santander 2019

Setúbal, 05 de dezembro de 2019 – O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) foi um dos vencedores dos Prémios de Voluntariado Universitário (PVU), uma iniciativa do Santander Universidades.

Na cerimónia de entrega dos prémios que decorreu esta tarde, na sede do Banco Santander, em Lisboa, o IPS subiu ao pódio em duas ocasiões, como vencedora do prémio pelo projeto “Comunidade para uma Vida Saudável”, desenvolvido por estudantes da licenciatura em Desporto do IPS, e a distinção de Instituição de Ensino Superior + Voluntária, uma menção honrosa partilhada com a Universidade do Porto como forma de premiar as instituições de ensino superior com mais candidaturas apresentadas.

Sendo um dos pontos-chave deste ano o grau de inovação social, os estudantes do IPS conseguiram convencer o júri dos PVU com um projeto de voluntariado que visa promover a atividade física e a coesão social. “Recorremos à promoção da atividade física para alterar comportamentos e reduzir o isolamento social que afeta a qualidade de vida”, referem os vencedores que se fizeram acompanhar, nesta cerimónia, por alguns dos beneficiários do programa, prevenindo que “a adoção e a manutenção de estilos de vida saudáveis revestem-se da maior importância para uma intervenção efetiva no controlo das doenças crónicas”. O projeto “Comunidade para uma Vida Saudável” combate o isolamento social dos idosos em bairros carenciados, através da prática de atividade física, e recebe agora um donativo financeiro de 4.000€ para aplicar neste programa e apoio à comunicação e mentoria por parte do Banco Santander.

O PVU Santander, que vai na sua 4ª edição, apoia e distingue os melhores projetos criados e/ou desenvolvidos por estudantes universitários, com o objetivo de incentivar cada vez mais a prática de uma cidadania ativa através do voluntariado e recompensar o esforço das instituições do ensino superior e os jovens envolvidos nestas atividades. O responsável pela dinamização destas ações, Prof. Carlos Mata, sublinha o impacto deste prémio e mostra-se orgulhoso e confiante “com o trabalho que tem vido a ser desenvolvido pela comunidade académica ao nível do voluntariado e da responsabilidade social”. Em relação ao projeto, o Pró-Presidente do IPS assume paralelamente o dever de “junto das comunidades académica e da região, alertar para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, promovendo a adoção de novos comportamentos, dentro e fora do campus, de modo a contribuir para uma sociedade melhor”.

O vídeo do projeto “Comunidade para uma Vida Saudável” está disponível na ligação https://youtu.be/_rlWpbmvjQw

Programa de Mentoria do IPS chega aos 250 participantes na 3ª edição

Diplomados e estudantes preparam juntos o ingresso na vida profissional 

Setúbal, 21 de novembro de 2019 – Cerca de 250 diplomados e estudantes do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) vão trabalhar em equipa ao longo dos próximos meses, na 3ª edição do Programa de Mentoria, que arrancou ontem, quarta-feira, registando o triplo da adesão alcançada no ano de lançamento da iniciativa.  

O programa, que surgiu no âmbito da rede AlumniIPS, em 2017, pretende pôr em contacto quem já se formou (mentor) e ingressou no mercado de trabalho há vários anos e quem está agora a finalizar o seu ciclo de estudos no IPS (mentorandos), num registo de acompanhamento/aconselhamento.

Trata-se de um “programa exigente”, que implica “uma grande generosidade por parte dos mentores”, e que deve ser encarado pelos estudantes como “um processo de aprendizagem e de crescimento”, paralelo à preparação técnica, em contexto de aula. Merece, por isso, o mesmo “espírito de compromisso” e de “abertura para aprender”, como apelou na sessão de abertura o presidente do IPS, Pedro Dominguinhos.

“Não estamos a falar de explicadores. O objetivo principal deste programa é o desenvolvimento de competências transversais”, esclareceu também Carlos Mata, pró-presidente da instituição para a Inserção na Vida Ativa, lembrando os quatro workshops que integram igualmente o plano de trabalho do programa, justamente na área das soft skills, comunicação, networking e empreendedorismo. 

Chamado para dar o seu testemunho, Vasco Gorjão, diplomado em Ciências Empresariais e mentor desde a 1ª edição, confessou aos presentes que sente esta experiência como um “programa de melhoria contínua, tanto para os mentorandos, como para os mentores”. Entre os benefícios deste trabalho de parceria, o gestor de projeto nos CTT realçou a possibilidade de desenvolver competências “por vezes minimizadas, mas que são fundamentais em momentos chave e oportunidades que nos surgem”, nomeadamente qual a atitude a ter numa entrevista de emprego decisiva ou como estar nas aulas para ter melhor desempenho.

Antes ainda de serem conhecidas e apresentadas as equipas de mentoria para o ano 2019/2020, a diplomada Cláudia Patão, na área da Gestão de Recursos Humanos, partilhou também a sua experiência enquanto mentoranda na 2ª edição. Aos que vão agora começar esta aventura, deixou o conselho de que “aproveitem os conhecimentos transmitidos por quem tem já uma vasta experiência e se dispõe a dedicar-nos tempo”. E enquanto recém-chegada ao mercado de trabalho reconhece que ganhou em “capacidade de reflexão e de foco nas metas e prioridades” e que o Programa de Mentoria a fez “crescer enquanto profissional e também enquanto pessoa”.

Centros de investigação na Universidade de Coimbra abrem as suas portas na Semana da Ciência e da Tecnologia

A Universidade de Coimbra (UC) associa-se a mais uma edição da Semana da Ciência e da Tecnologia, promovida pela agência Ciência Viva. De 24 a 30 de novembro, 11 centros de investigação e estruturas de divulgação científica na UC mostram o seu trabalho nas mais variadas vertentes e dando ao público uma oportunidade de contacto direto com especialistas de diferentes áreas do conhecimento.

Center for Innovative Biomedicine and Biotechnology (CIBB, consórcio que junta o Centro de Neurociências e Biologia Celular e o Instituto de Investigação Clínica e Biomédica de Coimbra), Centro de Estudos Sociais (CES), Centro de Geociências, Centro de Informática e Sistemas (CISUC), Centro de Investigação em Antropologia e Saúde, Centro de Investigação em Engenharia dos Processos Químicos e dos Produtos da Floresta, Jardim Botânico, Observatório Geofísico e Astronómico, Proaction Lab (Laboratório de Percepção e Reconhecimento de Objetos e Ações) e RÓMULO Centro Ciência Viva   vão organizar atividades no âmbito da Semana da Ciência e da Tecnologia. Passando pelas mais variadas áreas do saber – da botânica à astronomia, da antropologia às geociências, da engenharia de processos químicos ao estudo do funcionamento do cérebro… – estão previstas perto de 30 atividades.

Na agenda, constam visitas às escolas da região (pelos investigadores do CIBB), workshops variados (por exemplo, no CISUC, pode aprender-se, como criar um jogo de computador), palestras (como “Educação contra o raciscmo”, pelo antigo capitão da seleção francesa de futebol Lilian Thuram, promovida pelo CES), debates, seminários, exposições e até iniciativas como as comemorações do 11.º aniversário do RÓMULO ou a XXV Feira Internacional de Minerais, Gemas e Fósseis, promovida pelo Centro de Geociências/Departamento de Ciências da Terra da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC. “A Semana da Ciência e da Tecnologia é uma oportunidade para partilharmos com as escolas e o publico em geral a investigação científica e os avanços tecnológicos desenvolvidos na Universidade de Coimbra, estreitando, cada vez mais, a distância entre a universidade e a sociedade”, sublinha a Vice-Reitora da UC para a Investigação, Cláudia Cavadas.

A Semana da Ciência e da Tecnologia é uma iniciativa da agência Ciência Viva, que decorre em diversas unidades de investigação do País, como parte das celebrações do Dia Nacional da Cultura Científica (24 de novembro). Mais informações, formulários de inscrição e a lista completa dos eventos agendados estão disponíveis em http://www.cienciaviva.pt/semanact/edicao2019/.

Lista de eventos da Semana da Ciência e da Tecnologia na Universidade de Coimbra:

Center for Innovative Biomedicine and Biotechnology (CNC/iCBR)

·        Investigadores vão à escola (25/11 a 29/11)

·        Laboratórios abertos (25/11 a 29/11)

Centro de Estudos Sociais

·        Paradigmas da Extensão Universitária Brasileira: A Experiência da Universidade Federal de Santa Maria e da Universidade Federal de Uberlândia à luz dos ensinamentos de Paulo Freire (26/11 – 14h30)

·        Das boas intenções às práticas inesperadas? O «efeito Mateus» e as políticas de formação profissional em Portugal e no Brasil (26/11 – 14h30)

·        «Educação contra o Racismo» por Lilian Thuram (26/11 – 18h00)

·        Arquivo – Exposição de fotografias sobre espaços de reclusão e suas reflexões sociais (25/11 a 6/12)

Centro de Geociências

·        XXV Feira Internacional de Minerais, Gemas e Fósseis (22/11 a 24/11)

·        Galeria de Mineralogia José Bonifácio d´Andrada e Silva aberta ao público (22/11 a 24/11)

Centro de Informática e Sistemas

·        Desenvolve o teu próprio jogo! (30/11 – 14h00)

·        Design interativo com processing (30/11 – 14h00)

Centro de Investigação em Antropologia e Saúde

·        Vale da Gafaria: vestígios arqueológicos das primeiras vítimas do tráfico negreiro português – memória fotográfica (15/11 a 31/12)

Centro de Investigação em Engenharia dos Processos Químicos e dos Produtos da Floresta

·        Proteger o ambiente reciclando solventes (28/11 – 14h30)

·        Os polímeros podem ser “sensíveis” e “inteligentes” (28/11 – 14h30)

·        Desenvolver novos produtos com o auxílio de ferramentas computacionais (28/11 – 14h30)

Jardim Botânico

·        De Platanus se fazem rosas (27/11 – 14h30)

·        O dia-a-dia no Herbário da Universidade de Coimbra (28/11 – 14h30)

·        A Sociologia no Jardim Botânico (25/11 a 29/11)

·        Plantas recordistas do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra (25/11 a 29/11)

Observatório Geofísico e Astronómico

·        À Descoberta do Observatório (24/11 – 15h00)

Proaction Lab (Laboratório de Percepção e Reconhecimento de Objetos e Ações)

·        Dia aberto (27/11 – 14h30)

·        O Cérebro: passado, presente e futuro (28/11 – 21h30)

RÓMULO Centro Ciência Viva da UC

·         Comemoração do 11.º aniversário do RÓMULO (25/11 – 15h00)

·        As três culturas: deuses, máquinas e homens (26/11 – 18h00)

·        Poluição Luminosa no Meio Ambiente – Rómulo Fora de Portas (27/11 – 17h30)

·        Diálogos com Ciência – Rómulo Fora de Portas (28/11 – 17h30)

·        Semana C & T [com o Centro de Neurociências e Biologia Celular] (29/11 – 10h00)

Exercício físico e sono em debate no Politécnico de Setúbal

Exercício físico e sono em debate no Politécnico de Setúbal

Setúbal, 14 de novembro de 2019 – Alguns dos maiores especialistas nacionais e internacionais vão estar reunidos no Auditório Nobre do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), entre os próximos dias 21 e 22 de novembro, para debater o impacto do exercício físico na saúde humana e no sono em particular.

Organizado pela Escola Superior de Educação (ESE/IPS), em colaboração com o Hospital da Luz de Setúbal, o Simpósio Internacional de Investigação “Sono, Exercício e Saúde” propõe ser um fórum de discussão e partilha em torno de uma área fulcral da atividade humana – passamos cerca de um terço da nossa vida a dormir – e que, como tal, vem despertando o interesse da ciência, em diversos estudos levados a cabo pelas áreas do desporto, medicina, psicologia e sociologia, entre outras. 

“Considera-se que o benefício do exercício físico ao nível do sono pode ser parcialmente atribuído às hipóteses tradicionais de que este contribui para a conservação de energia, e manutenção da homeostasia interna”, sublinha a organização, adiantando que os estudos nesta área revelam um “aumento do tempo total de sono, diminuição da latência do sono NREM (10 min), aumento do sono profundo e diminuição da quantidade de sono REM (2-5 min)”.

Distribuindo-se em sessões plenárias, sessões paralelas e debates em mesa redonda, o encontro internacional pretende assim fomentar a discussão, disseminação de informação e troca de ideias nos domínios da medicina do sono, exercício físico, desporto e saúde. O primeiro dia, 21, reserva ainda, pelas 20h00, no Hotel do Sado, um jantar de homenagem à médica neurologista Teresa Paiva, reconhecida como a maior especialista na área do sono em Portugal. Coautora de várias obras relacionadas com a temática do sono, a homenageada é responsável pela criação do Centro de Eletroencefalografia e Neurofisiologia Clínica e pelo primeiro mestrado em sono a nível mundial.

Apresentações de posters, exposições e stands temáticos e cursos intensivos de curta duração são outras das atividades previstas no programa, dirigido a médicos, investigadores, estudantes, técnicos superiores de saúde e profissionais de desporto, nutrição e de outras áreas da saúde com interesse no tema.