Tag Archives: ualg

Empresas atribuem 41 bolsas de excelência a alunos da Universidade do Algarve

 

Pelo quinto ano consecutivo, os melhores alunos que se matricularam na UAlg, no 1.º ano, voltaram a ser premiados numa sessão pública, que contou com vários empresários, alunos e respetivas famílias. Com a participação de 35 empresas, este ano foram atribuídas 41 bolsas, num total de cerca de 40 mil euros, que somados às 149 entregues nas edições anteriores fazem com que este projeto se aproxime dos 200 mil euros atribuídos em bolsas de excelência.

Para António Branco, reitor da UAlg, esta iniciativa é um grande projeto de responsabilidade social, que só é possível graças às empresas que nele participam. “É muito importante sublinhar a ousadia e a coragem destas empresas que reconhecem que a formação superior é importantíssima para o desenvolvimento do País.” O reitor realçou o trabalho realizado pelas escolas secundárias e agradeceu a todos os agentes envolvidos no processo educativo, sem esquecer as famílias. António Branco valorizou ainda o facto de esta iniciativa permitir criar um momento de partilha diferente entre o meio empresarial e o meio académico, apostando em conjunto na formação dos jovens, e aproximando dois universos que nem sempre se cruzam, que muitas vezes não se conhecem suficientemente bem, mas que, na sua opinião, terão muito a ganhar com esta aproximação.

Em representação das 35 empresas que este ano disponibilizaram bolsas, foi chamado a intervir Élio Vicente, diretor de relações externas e do Centro de Reabilitação de Espécies Marinhas do Zoomarine. Este empresário, licenciado em Biologia Marinha pela UAlg, falou do seu percurso académico e profissional e da importância de “sonhar sempre” e “trabalhar o suficiente”, enaltecendo os alunos premiados pelo mérito porque, na sua opinião, são “motivo de orgulho para a região e para o País”.

Maria Brito veio da Escola Secundária Dr. Francisco Fernandes Lopes, em Olhão, para o curso de Design de Comunicação na Universidade do Algarve. Desde que começou o seu percurso escolar no ensino básico, recorda-se de dizer a si mesma que “iria fazer de tudo para alcançar o melhor possível, em todas as áreas, para quando tivesse que escolher, ter sempre as portas abertas”. Durante esse percurso cumpriu a sua promessa e este ano escolheu a UAlg, com uma média superior a 18 valores. No seu discurso, em representação dos alunos, Maria reconheceu que “graças à Universidade do Algarve e às empresas patrocinadoras, todos os alunos premiados veem o seu esforço e dedicação recompensados. “É, de facto, muito gratificante estarmos aqui e sermos reconhecidos pelo nosso trabalho”.

Esta iniciativa, que privilegiou o contacto entre as empresas patrocinadoras e os alunos premiados, pretende motivar os melhores alunos a prosseguirem os seus estudos na UAlg, facultar-lhes uma formação de qualidade e promover o contacto com o tecido empresarial. A bolsa atribuída paga integralmente o valor da propina anual, que no presente ano letivo é de 969,83 euros.

Os 24 alunos premiados na primeira edição, 2012/13, que já terminaram o curso, obtiveram classificações superiores a 15, exceto um, tendo-se mantido, assim, a média exigida para a atribuição das Bolsas de Excelência.

No mesmo dia, no Grande Auditório do Campus de Gambelas, foi também entregue o prémio BPI aos diplomados com mérito no ano letivo 2014/15.

Mais informações em: http://www.ualg.pt/pt/content/bolsas-excelencia-201617

Investigador da UAlg vence prémio da Sociedade Portuguesa de Genética Humana

Clévio Nóbrega, investigador do Centro de Investigação em Biomedicina (CBMR) da UAlg, a trabalhar na área da neurociência, particularmente na aplicação de terapia genética a doenças neurodegenerativas, é o vencedor do prémio anual da Sociedade Portuguesa de Genética Humana.

Atribuído ao artigo de maior excelência científica publicado na área da genética, o prémio visa distinguir investigadores portugueses cujo trabalho se destaque no panorama internacional.

Este ano a distinção foi atribuída ao investigador do CBMR pela publicação do artigo “Reestablishing Ataxin -2 downregulates translation of mutant ataxin-3 and alleviates Machado-Joseph disease”, um trabalho publicado no ano passado na renomada revista Brain.

Tendo sido, na altura, escolha do editor, o artigo, intensamente acolhido pela sociedade científica internacional, propõe investigar o papel e a relevância da proteína ‘ataxina-2’ na doença de Machado-Joseph (DMJ). Esta uma doença hereditária, sem cura até ao momento, é caracterizada pela “descoordenação motora, atrofia muscular e rigidez dos membros”, provocando, como esclarece o investigador, “dificuldades na deglutição, na fala e na visão”.

Neste trabalho científico, Clévio Nóbrega e os seus pares colocam a hipótese de que a proteína ‘ataxina-2’, uma proteína que apresenta uma função celular importante, se encontre reduzida na doença de Machado-Joseph, especulando os investigadores sobre a hipótese de que a reposição dos níveis desta proteína possa alterar a progressão da doença e até contribuir para uma melhoria da mesma.

UAlg volta a receber mais de mil colocados na 1ª fase do concurso nacional

A Universidade do Algarve (UAlg) manteve a tendência de consolidação do número de candidatos colocados na 1ª fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior: pelo segundo ano consecutivo, verifica-se que mais de mil estudantes foram colocados nesta instituição.

De acordo com os resultados da 1ª fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior de 2016/17, recentemente publicados, confirma-se a consolidação na procura da UAlg por parte dos candidatos, com 1075 colocações das quais 644 (60%) em 1ª opção. Refira-se também, que nos últimos anos, o aumento do número de colocados em 1ª opção se tem vindo a consolidar, bem acima da média nacional (51%).

Universidade algarvia com forte abrangência nacional

Destas 1075 colocações, 62% tem proveniência de uma escola secundária da região do Algarve, afirmando-se assim como a academia de preferência dos estudantes algarvios. Porém, o recrutamento da UAlg faz-se a nível nacional, de lés-a-lés, com 415 candidatos colocados (38%) provenientes de todos os distritos do continente e das regiões autónomas. Destacam-se o distrito de Lisboa, com 8% seguido dos de Beja (6%), Setúbal (5%) Évora e Porto, ambos com 3% cada um.

15% dos alunos de 1º ano já são internacionais

A UAlg recebe já no presente ano letivo cerca de 200 alunos internacionais, na sua maioria brasileiros, que aqui irão frequentar um curso licenciatura ou de mestrado integrado na sua totalidade. Estes estudantes além-fronteiras virão engrossar o contingente de alunos do Concurso Especial para o Estudante Internacional, que no ano de 2015/16 já havia recebido mais de meia centena, fazendo com que a academia do sul do país arranque o ano letivo com quase 1300 alunos de 1º ano, ou seja, tendo mais 8% do que no ano transato e com tendência a ver estes números aumentarem com os resultados da 2ª fase e dos concursos especiais.

Pela primeira vez realizam-se matrículas online e uma Semana de Acolhimento

A Universidade do Algarve, na procura constante da eficiência de recursos e dando resposta à comunidade que com ela interage, disponibilizará este ano, pela primeira vez, a possibilidade de os estudantes se inscreverem e matricularem online, bastando para tal aceder ao portal www.ualg.pt. Ao mesmo tempo, dias 12 e 13 no Campus da Penha e de 14 a 16 de setembro no Campus de Gambelas,  realizar-se-á a “Semana de Acolhimento” que prevê a inscrição e matrícula presencial dos candidatos em dias específicos, consoante o seu respetivo curso.

Também nesta inédita “Semana de Acolhimento”, tanto os alunos que se matriculem presencialmente como aqueles que o façam online terão ao seu dispor uma mostra do Campus Life da UAlg, que consistirá numa grande mostra ao ar-livre, na qual estarão representadas todas as valências da universidade e da cidade de Faro que os acolherá. Assim, será possível, num único espaço, tratar do alojamento universitário, bolsas de estudo, passe para transportes públicos, desporto académico, ou receber kits de boas-vindas, com descontos para atividades desportivas, culturais ou do comércio da baixa de Faro.

Reitor satisfeito por a UAlg ser uma das universidades mais cosmopolitas de Portugal

O Reitor da UAlg, António Branco, manifesta-se “muito satisfeito com estes resultados”, na sua opinião “a Universidade do Algarve está a caminho de se transformar numa das mais cosmopolitas do país, reunindo, numa ampla e variada comunidade de professores, investigadores, bolseiros, funcionários e estudantes, cidadãos do Algarve e do resto do país, assim como de muitos outros pontos do mundo”. É, no seu entender, “assim que se cumpre uma das vocações da UAlg”.

Algarve no mapa do Design internacional

De 21 a 28 de maio, irá realizar-se a 6ª edição do Algarve Design Meeting. Este evento internacional, que decorrerá na Fábrica da Cerveja, em Faro, pretende promover as áreas do Design e dos Audiovisuais, em todas as suas formas de expressão, reunindo anualmente na cidade de Faro, designers, marcas, indústria, investigadores, empresas e instituições.

 

Num espaço com cerca de 2 mil m2, o Algarve Design Meeting oferece um conjunto de seminários que contam com a participação de vários oradores nacionais e internacionais, que irão partilhar as suas experiências ou apresentar os seus projetos. Para além dos seminários, existirá, também, um espaço dedicado à mostra e comercialização dos produtos, bem como exposições, workshops temáticos, cinema ao ar livre e um espaço lounge com vários Djs convidados.

Um dos pontos mais atrativos deste evento será a 3ª Edição do Festival de Videomapping, na fachada da Igreja da Sé de Faro, com apresentação de projetos realizados pelos alunos da Escola Superior de Educação e Comunicação (ESEC) da Universidade do Algarve e pelos alunos da Universidade de Tomas Bata (República Checa), este ano com a participação dos alunos da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa.

Neste 6º Algarve Design Meeting também será inaugurada a exposição dos trabalhos dos alunos finalistas da Universidade do Algarve dos cursos de Design de Comunicação e Imagem Animada e do Mestrado em Design de Comunicação para o Turismo e Cultura.

A festa de encerramento do evento decorrerá no dia 28, das 18h00 às 02h00, na Fábrica da Cerveja.

Nas cinco edições já realizadas, o Algarve Design Meeting contou com mais de 100 oradores, 20 workshops, 50 empresas e 2 mil visitantes.

Com o Alto Patrocínio do Presidente da República, além da UAlg, o Algarve Design Meeting conta ainda com diversos parceiros, nomeadamente: Associação Nacional de Designers (AND), Câmara Municipal de Faro, Direção Regional de Cultura do Algarve, Câmara Municipal de Loulé, Universidade de Tomas Bata (República Checa), Design For Europe, Design Council e Museu Zero.

Concurso maiores de 23: a oportunidade de voltar a estudar termina a 17 de abril

 

A Universidade do Algarve tem inscrições abertas para as provas de acesso ao concurso especial para maiores de 23 anos. Os candidatos interessados em ingressar através deste concurso ainda poderão fazê-lo até ao próximo dia 17 de abril.

O concurso para Maiores de 23 destina-se a todos aqueles que desejam construir o seu próprio projeto pessoal e valorizar o seu futuro. Não necessitam de ter habilitação académica, devendo apenas ter cumprido 23 anos até dezembro do ano que antecede a candidatura. A prova, que incluí uma componente específica e uma componente de Língua Portuguesa, tem como principal objetivo avaliar o potencial do candidato para ingressar no Ensino Superior. A avaliação do currículo escolar e profissional e uma entrevista são os métodos de seleção que se seguem às provas.

Tiago Rosário, aluno do curso de licenciatura em Agronomia da UAlg, que ingressou através deste concurso, acredita que esta “é uma excelente oportunidade para quem pretende aprender e obter uma formação superior, mas que por alguma razão não completou o 12ºano.”

Com uma experiência profissional diversa, Tiago decidiu ingressar na UAlg por sentir “necessidade de adquirir novos conhecimentos e melhorar a minha formação académica”. Já a escolha da licenciatura, Agronomia, deveu-se ao facto de sempre se ter sentido “atraído pela área da produção, do setor primário”.

Relativamente à sua experiência enquanto aluno universitário, Tiago garante que está “muito contente por viver esta experiência. Tem sido muito enriquecedora a vários níveis, principalmente na amizade e interajuda com os colegas, na disponibilidade e proximidade dos professores”. Garante ainda que “a oportunidade que a Universidade dá às pessoas de poderem voltar a estudar «depois do seu tempo» é uma mais-valia para todos”.

Na sua opinião, também os alunos mais jovens podem beneficiar do contacto com os alunos maiores de 23 anos, porque “podem aprender com as suas vivências e experiências”. O aluno acredita, ainda, que a sociedade beneficia por ter licenciados tão diversificados no mercado de trabalho.

Toda a informação poder consultada http://www.ualg.pt/pt

UAlg participa em formações sobre planeamento energético

 

No dia 07 de abril a Universidade do Algarve participou na segunda reunião do Projeto E-RESPLAN – Innovative Educational Tools for Energy Planning, que decorreu na Universidade Pablo de Olavide (UPO), em Sevilha, Espanha. O Projeto E-RESPLAN é um projeto financiado pela Comissão Europeia ao abrigo do ERASMUS+ (Programa Comunitário 2014-2020), ação Parcerias Estratégicas, e tem como objetivo preencher lacunas existentes nos programas de ensino superior, particularmente nas fontes de energia renováveis, desenvolvimento e ordenamento do território.

Para além da UAlg e da UPO, a parceria do projeto é constituída pela Universidade de Maribor, Eslovénia (parceiro líder), pela UNIROMA3 – Universita degli Studi Roma Tre (Roma, Itália), pela IRENA – Istrian Regional Energy Agency Ltd, (Croácia) e pela MIEMA – Malta Intelligent Energy Management Agency (La Valeta, Malta).

Durante os 24 meses do E-RESPLAN prevê-se a organização de cursos dirigidos a professores e a alunos dos países da parceria. Estas formações pretendem utilizar mapas concetuais (Cmaps) enquanto metodologia de aprendizagem com foco no planeamento energético integrado, colmatando a necessidade de ferramentas específicas e interdisciplinares no ensino superior.

Para além destas ações, o E-RESPLAN pretende realizar, testar e divulgar uma nova ferramenta educacional, o ENERGY-CMAP. Trata-se de um software livre para fins científicos e educacionais, que permitirá a atualização contínua dos conteúdos e a interação constante entre alunos e professores.

Investigador da UAlg distinguido pela Liga Portuguesa Contra o Cancro com bolsa Terry Fox para estudar melanoma

 

O investigador Wolfgang Link, do Centro de Investigação em Biomedicina (CBMR) da Universidade do Algarve (UAlg), acaba de receber uma bolsa Terry Fox no valor de 15 mil euros. A cerimónia oficial de entrega das bolsas de investigação científica Terry Fox 2016/2017 teve lugar no dia 8 de Abril, no Instituto Português de Oncologia de Lisboa (IPLFG).

Com esta bolsa, atribuída pelo Núcleo Regional do Sul da Liga Portuguesa Contra o Cancro (NRS-LPCC) e pela Embaixada do Canadá, que organiza em Portugal a Corrida Terry Fox, o investigador vai continuar a estudar os mecanismos de resistência a drogas mediados pela pseudo-cinase TRIB2, no contexto do melanoma.

Este cancro representa a forma mais agressiva de cancro de pele resistente a todos os tratamentos convencionais.

“Characterization of TRIB2-mediated resistance to anti-melanoma drugs” é o nome do projeto que Wolfgang Link submeteu a concurso. “Estou extremamente grato à Liga Portuguesa Contra o Cancro, à Embaixada do Canadá e à Fundação Terry Fox pela atribuição desta bolsa. Além de se tratar de um reconhecimento da qualidade do trabalho já produzido até aqui em torno do melanoma, será uma ajuda preciosa para continuar a explorar os mecanismos moleculares que estão na origem do insucesso no tratamento destes pacientes”, explica Wolfgang Link, professor no Departamento de Ciências Biomédicas e Medicina, desde 2011.

Esta é a terceira vez que um investigador da UAlg é distinguido com uma bolsa Terry Fox. Já antes Nuno Rodrigues dos Santos, que centra a sua investigação na leucemia aguda de linfócitos T, e a investigadora Ana Luísa Martins Ferreira, que estudou a aplicação de novas técnicas de diagnóstico na área da Oncologia, viram os seus projetos distinguido pela LPCC e pela Embaixada do Canadá, com as respetivas bolsas.

O melanoma é a forma mais agressiva de cancro de pele resistente a todos os tratamentos tradicionais. A resistência a drogas é a principal causa de insucesso, no tratamento a pacientes que padecem desta doença. No último ano, o grupo de sinalização do CBMR, liderado por Wolfgang Link, identificou a proteína TRIB2 como biomarcador em melanoma. Esta descoberta vai permitir num futuro próximo triar os pacientes com mais precisão, tanto a nível do diagnóstico como na resposta ao tratamento.

“Mais recentemente, descobrimos um novo mecanismo de resistência a medicamentos mediado por esta proteína TRIB2”, explica o investigador. Wolfgang acrescenta ainda que “TRIB2 confere resistência a inibidores de PI3K, mTOR e MEK (atualmente em ensaios clínicos, para a utilização no tratamento de melanoma metastático), assim como a droga anti-melanoma dacarbazina (DTIC)”. Deste modo, a resistência mediada pela protein TRIB2 é relevante para um largo espetro de quimioterapêuticos anti-melanoma.

Com a atribuição deste premio pela LPCC, o grupo de Wolfgang Link quer agora investigar quais são os intervenientes e os mecanismos moleculares que permitem que TRIB2 confira resistência a agentes quimioterapêuticos.

Os resultados esperados são altamente relevantes, já que irão permitir diferenciar pacientes que respondem ou não a agentes anticancerígenos. Utilizando uma medicina personalizada poder-se-á desenvolver uma estratégia de co-tratamento para superar a resistência aos medicamentos.

Dia Aberto superou expetativas dos cerca de 2 mil alunos que visitaram a UAlg

A Universidade do Algarve voltou a realizar mais uma edição do Dia Aberto, ontem, dia 18 de fevereiro. Cerca de 2 mil alunos do ensino básico e secundário dos quatro cantos do Algarve e de algumas escolas do Alentejo vieram conhecer um pouco do que se faz dentro da Academia algarvia.

Qual a importância do Dia Aberto? O que pensam os alunos sobre esta iniciativa? Quais as atividades que mais gostaram? Este dia pode ajudá-los nas suas decisões futuras?

André Duarte veio da Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes de Portimão. Frequenta o 11º ano e encontra-se a um passo de decidir qual o curso superior que quer tirar. Diz que ficou impressionado com o tamanho da Universidade, com as instalações e sentiu que aqui “se respira liberdade”. Espera ficar a conhecer melhor os cursos, a Universidade, as pessoas e, quem sabe, talvez esta visita o ajude na sua decisão. Veio com os seus colegas e considera que esta iniciativa “é das melhores coisas que se pode fazer”.

Catarina Cunha tem 16 anos e está no 11ºano, mas já sabe o que vai escolher: quer ser jornalista. Num futuro bem próximo, ela e os seus colegas, que frequentam a Escola José Belchior Viegas, em São Brás de Alportel, vão ter de fazer opções. Rumaram à UAlg com o objetivo de recolher toda a informação possível sobre a oferta formativa, os departamentos e, ainda, para conhecer professores e alunos. “Esta iniciativa é excelente, quer para os alunos que já têm algo definido, porque aqui podem ficar a conhecer melhor o que vão seguir, quer para os que estão indecisos, porque terão oportunidade de conhecer outras áreas de interesse e, desta forma, ajudá-los na sua decisão.” Contudo, Catarina mostrou-se insatisfeita porque, como vinha acompanhada por uma das suas professoras que tinha feito uma inscrição prévia para toda a turma participar nas mesmas atividades, ficou com a sensação que queria ver mais. Mas deixou uma promessa: “para o ano volto!”

A Escola Secundária Júlio Dantas de Lagos também se fez representar. Pela voz da Francisca e da Leonor, ambas com 16 anos, ficámos a saber que gostaram muito de todas as atividades e que este dia “lhes possibilitou o acesso a uma realidade diferente”. Consideram que “esta iniciativa é muito importante” e que “todos os alunos deviam viver esta experiência”.

Com mais de uma centena de atividades, os visitantes experienciaram uma verdadeira viagem ao mundo da investigação, através das várias áreas de estudo da UAlg. Todas as atividades foram pensadas de forma a desafiar e interpelar os conhecimentos dos jovens, estimulando o seu sentido crítico, a assimilação de novos conceitos ou a estruturação de matérias já abordadas em sala de aula, através das várias disciplinas que constituem os currículos do ensino básico e secundário em Portugal.

Organizadas pelo Gabinete de Desporto da Associação Académica da UAlg, decorreram, em simultâneo, atividades como futebol americano, rugby, golfe, escalada, ténis e várias aulas de grupo, abertas a todos os participantes.

Este evento, que se realiza anualmente, tem como objetivo oferecer propostas para públicos diversificados, como estudantes, docentes e outros agentes educativos.

Em jeito de conclusão, André Botelheiro, coordenador do Gabinete de Comunicação da UAlg, considera que este dia superou as expetativas devido, em grande parte, à motivação e união de todos os agentes envolvidos (alunos da UAlg, professores, funcionários…) na organização. Para André Botelheiro, este tipo de iniciativas reveste-se de primordial importância, “não só pela divulgação da oferta formativa e, consequentemente, da UAlg no seu todo, mas também pelo impacto que possa ter na divulgação e no incentivo da prossecução dos estudos superiores.” Fica a promessa de que “para o ano faremos mais, se não igual, melhor!”

Investigadores do Centro de Investigação em Artes e Comunicação da UAlg apresentam o projeto romanceiro.pt

No dia 20 de fevereiro, pelas 16h00, vai ser apresentado ao público o projeto romanceiro.pt, na Fundação Manuel Viegas Guerreiro, em Querença, que contará com a presença do ministro da Cultura, João Soares. Este projeto foi dirigido pelos investigadores Pere Ferré, Mirian Tavares e Sandra Boto do Centro de Investigação em Artes e Comunicação da Universidade do Algarve.

O Romanceiro é um género poético tradicional que circula desde os finais da Idade Média na memória dos povos de expressão portuguesa, galega, castelhana e catalã, difundindo-se desde então oralmente de geração em geração. Trata-se, portanto, de um património imaterial de uma vitalidade excecional e de uma riqueza ímpar que importa preservar.

Desde que o Romantismo encetou o interesse sistemático por este género poético em 1824, foram coligidas milhares e milhares de versões de romances em Portugal, em Espanha e nos países da diáspora portuguesa e espanhola, sem falar na memória romancística que os judeus expulsos da Península Ibérica nos finais do século XV transportaram com eles pelo mundo e que ainda hoje é preservada.

Para o caso específico português, poderiam referir-se os contributos das recolhas e publicações de versões de romances realizadas a cargo de nomes como Almeida Garrett, Teófilo Braga, Leite de Vasconcellos, Consiglieri Pedroso, Alves Redol, Michel Giacometti, Maria Aliete Galhoz, Manuel Viegas Guerreiro, entre tantos outros. Este arquivo alimenta-se, justamente, dos trabalhos de recolha e publicação do romanceiro tradicional português que estes e muitos outros interessados na literatura de tradição oral levaram e continuam a levar a cabo no presente.

Este acervo, que compreende 660 horas de gravação (em 609 cassetes audio hoje em dia depositadas na Fundação Manuel Viegas Guerreiro), atesoura 3.632 versões inéditas de romances e acolhe 10.096 versões de romances publicadas entre 1828 e 2010.

Entende-se também a urgência de que se revestiu a sua preservação, através do recurso à digitalização, reconhecendo que a sua manutenção nos formatos em que se encontravam (cassetes áudio, para o arquivo sonoro, e em fotocópias em papel, para o arquivo dos textos já publicados) constituía uma séria ameaça à sua preservação.

A oportunidade para a conversão digital do Arquivo do Romanceiro Português da Tradição Oral Moderna chegou em 2013, através do projeto designado “O Arquivo do Romanceiro Português da Tradição Oral Moderna (1828-2010): sua preservação e difusão”, que foi financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian no âmbito do programa de Recuperação, Tratamento e Organização de Acervos Documentais (2013), acolhido pela Fundação Manuel Viegas Guerreiro em parceria com o Centro de Investigação em Artes e Comunicação da UAlg, desenvolvendo-se a plataforma digital romanceiro.pt. Com este novo recurso, são disponibilizados agora online e em acesso livre os textos do Romanceiro português e, quando conservados, os respetivos registos sonoros.

Estrangeiros residentes no Algarve partilham experiências na Universidade

 

A Universidade do Algarve e a Association of Foreign Property Owners in Portugal (AFPOP) juntaram-se para organizar um ciclo de palestras intitulado “Sharing Experiences”. Sob o lema “Algarve is our Campus”, a Universidade do Algarve pretende interagir com a comunidade onde se insere, estabelecendo uma maior cooperação com a região e também com a população estrangeira que aqui reside.

Alunos e docentes da UAlg beneficiarão, assim, da troca de experiências pessoais e profissionais, comprovadas internacionalmente, de alguns dos muitos expatriados residentes no Algarve. Por sua vez, a Universidade atenderá às necessidades e expectativas desta comunidade, estando já agendado para o mês de março um curso que visa aprofundar o conhecimento sobre Portugal e, especialmente, sobre o Algarve, onde serão abordados temas como natureza, cultura, história, língua e literatura, tradições, sistema fiscal e turismo sustentável.

A primeira palestra, subordinada ao tema “The Challenges and Opportunities of Working With NGOs in Africa”, vai ser proferida por Michael Gerber, no próximo dia 10 de fevereiro, às 9h30, no auditório da Escola Superior de Saúde (ESSUAlg) da Universidade do Algarve.

Michael Gerber formou-se em História, em 1962, na City University of New York. Entre 1970 e 1973, esteve como voluntário do Peace Corps nas Filipinas. Entre 1973 e 1978, foi professor de Educação Internacional e Comparativa na City University of New York. Em 1974, rumou a Nova Deli, onde elaborou e conduziu um projeto de investigação sobre problemas da migração urbana na India. Em 1979, tornou-se presidente da Organização Não Governamental African Medical & Research Foundation (AMREF), U.S.A. A partir de 1989 e a até 1998, assumiu o cargo de diretor geral da fundação, estabelecendo a AMREF como um importante recurso de saúde no sul de África. Em 1998, aposentou-se, depois de 20 anos de serviço, e atualmente reside no Algarve.

Ainda no mês de fevereiro, no dia 24, Chris Hughes irá falar sobre “The English Education System – development, diversity and scrutiny from Victoria to Elizabeth”, no anfiteatro1.5 da Escola Superior de Educação e Comunicação (ESEC), no Campus da Penha. Com uma larga experiência no ramo da educação, Chris Hughes exerceu atividades como professor, leitor, administrador e Her Majesty’s Inspector of Education.

Já no dia 8 de março, David Thursfield, que exerceu cargos relacionados com a área do marketing em diversas empresas britânicas, abordará a temática “The Role of Sales Promotion in the Marketing Mix”, no anfiteatro da Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo (ESGHT), no Campus da Penha. Atualmente, David Thursfield é sponsorship coordinator da Association for Foreign Property Owners in Portugal (AFPOP).

De salientar que a Association of Foreign Property Owners in Portugal (AFPOP), com sede em Portimão, é uma organização sem fins lucrativos, fundada em 1987. Disponibiliza informação a estrangeiros de todas as nacionalidades, ajudando-os a tirar o melhor partido de viver e trabalhar em Portugal, mantendo-os atualizados sobre a legislação portuguesa. A AFPOP promove ainda vários eventos sociais para todos os sócios.